Atual

A doceira do Trindade durante mais de 30 anos

dzecasite

Maria José Gonçalves Rodrigues Oliveira, conhecida por D. Zeca, confecionou a doçaria do restaurante Trindade durante mais de 30 anos. “A doceira que eles tinham reformou-se e, na altura, eles souberam que eu fazia umas tartes de amêndoa muito boas e como estavam aflitos porque não tinham nada para a sobremesa, vieram-me pedir para eu fazer as tartes”, lembra a D. Zeca, de 89 anos. “Eu fi-las e foi um sucesso, de maneira que depois vieram-me pedir se eu tomava conta dos outros doces, porque não podiam entregar a receita a qualquer pessoa”, adianta a senhora, que ainda tem o gosto pela doçaria. “Aquilo era um segredo da casa e perguntaram se eu me comprometia a fazê-los, mas a não dar a receita a ninguém e eu comprometi-me”, adianta. Já foram muitos os que tentaram pedir-lhe as receitas. “As minhas receitas, dou, agora dos outros, não; é uma coisa da casa, uma coisa muito antiga, portanto não vou dar”, sublinha.
Para o Restaurante Trindade, Maria José Oliveira fazia os barretes [pastéis de amêndoa], pastéis de feijão, queijadas do Bárrio. “E fazia umas queijadas de amêndoa, que eu adoro; essas queijadas, eles depois deixaram de as fazer”, acrescenta, desvendando que o segredo era seguir sempre «à risca» as receitas como lhas deram.

(Saiba mais na edição em papel e digital de 17 de novembro de 2016)

Outras notícias em Atual