Atual

Escola. Horários e condições dos transportes preocupam pais

autocarros

“Além de ser transporte público e não escolar, as crianças têm que se levantar muito cedo para apanhar o autocarro, que passa às 7h25 da manhã, sendo um pouco penoso no outono e no inverno, devido ao estado do tempo”. A preocupação é expressa por Elisabete Roque, residente na Ataíja de Baixo, mãe de uma criança que irá deixar a escola básica que frequenta nas proximidades e irá iniciar o 2º ciclo em Alcobaça, no próximo ano letivo. No concelho de Alcobaça, existe apenas um autocarro escolar e é exclusivo do Instituto Educativo do Juncal (IEJ).

O facto de o transporte dos alunos que residem longe da escola ser escolar ou público origina grandes diferenças em termos de horários e condições. Vejamos, por exemplo, dois alunos que residem na Maiorga: Ana Rita, que estuda na Escola D. Pedro I, e Gonçalo, que estuda no Juncal, no IEJ. Os alunos reportam várias diferenças que ilustram a maior adequação dos transportes escolares, desde logo nas suas rotinas matinais. Ana Rita, na escola pública, às terças e sextas-feiras, inicia as aulas pelas 9h15, sendo que nos restantes dias começa pelas 8h15. Já as aulas de Gonçalo, do IEJ, têm início todos os dias pelas 9h00. Mesmo às terças e sextas-feiras, em que Ana Rita começa as aulas 15 minutos mais tarde do que Gonçalo, as diferenças surgem logo na hora de acordar. Ao passo que ele tem de despertar pelas 7h20, Ana Rita inicia o seu dia pelas 6h45, uma vez que têm de apanhar o autocarro às 7h50 e 8h30, respetivamente. Na hora de chegada, registam-se exatamente 35 minutos de diferença, sendo que Ana Rita chega uma hora antes da sua aula e Gonçalo dez minutos.

(Saiba mais na edição de 29 de novembro de 2018)

Outras notícias em Atual