Atual

Região. Pera Rocha poderá ter quebras até 25%

DSC_0003

A produção de pera Rocha deste ano, cuja colheita se iniciou a 27 de agosto, arranca com quebras entre 15 e 25% devido ao calor registado, devendo ficar entre as 180 e 190 mil toneladas, abaixo das 210 mil do ano anterior, estimou a associação do sector. Em declarações à agência Lusa, Domingos dos Santos, presidente da Associação Nacional dos Produtores de Pera Rocha (ANP), que representa o setor, referiu: “tínhamos uma previsão de quebra de 9% em relação à colheita anterior, mas com o escaldão dos dias 3 e 4 de agosto prevê-se [agora] uma quebra de 15 a 25%”, afirmou o responsável explicando ainda que “o calor queimou a fruta que estava mais exposta ao sol, a qual ficou logo incapaz de ser comercializada; e isto criou um choque térmico tão elevado, que veio atrasar o crescimento da fruta”.
Os produtores temem a estagnação do crescimento da fruta, que tendo começado a amadurecer mais cedo, atinja calibres mais pequenos e com mais baixa produção.
A ANP possui cinco mil produtores associados, com uma área de produção de 11 mil hectares. Na campanha anterior, o setor exportou 92 mil toneladas, acima das 54 mil da campanha de 2016/2017, e faturou 80 milhões de euros. A pera Rocha é produzida (99%) nos concelhos entre Mafra e Leiria.

Outras notícias em Atual