Opinião

banner_afonsoluis

Segredos da Paz

Recuemos, neste Natal, ao século VIII antes de Cristo. Nesta viagem no tempo encontraremos o profeta Isaías, que, numa linguagem poética e (passe o pleonasmo) profética, como que anuncia uma paz universal. Já não será o rico contra o pobre, o poderoso contra o fraco, o violento contra o pacífico. Diz-nos Isaías que “o lobo viverá com o cordeiro e a pantera dormirá com o cabrito” e ainda que “o bezerro e o leãozinho andarão juntos e um menino os poderá conduzir”.

Trata-se, repito, de uma linguagem poética, se atentarmos na Natureza tal como ela se nos apresenta. Mas não deixa de ser uma linguagem que aponta para uma atitude de aproximação e de paz entre todos os seres vivos. Já não faz sentido haver tiranos e opressores de um lado, vítimas e oprimidos do outro. “A vitela e a ursa pastarão juntamente, suas crias dormirão lado a lado; e o leão comerá feno como o boi”. Quando o profeta acrescenta que “a criança de leite brincará junto ao ninho da cobra e o menino meterá a mão na toca da víbora” leva-nos a sonhar com um mundo irreal.
Teria sido nestas passagens de Isaías que Walt Disney se inspirou para os seus magníficos filmes? Até parece. Vendo esses filmes, sentimo-nos transportados à época de Isaías e aos seus textos. Por outro lado, a linguagem (poética? profética? subversiva?) que nos é dado apreciar convida-nos a avançar oito séculos na História. Para nos determos na Judeia sob o jugo de Roma, e num Rabi que ali foi julgado e crucificado.

Outras notícias em Opinião

  • Books & Movies 2018– Festival Literário e de Cinema de Alcobaça

    Um estreito encontro entre artistas e públicos De 8 a 14 de outubro, Alcobaça recebe, pela 5.ª vez, escritores, realizadores e artistas. O Festival Books…

  • A nova Missa

    O Papa Francisco decidiu que, a partir deste ano, a Missa do dia seguinte à festa de Pentecostes passará a ser a memória litúrgica de…

  • O mundo das pedras vulcânicas

    A recente exortação apostólica do Papa Francisco, dedicada à santidade, evoca o curioso romance de Joseph Malègue intitulado “Pierres noires: Les Classes moyennes du Salut”…

  • Mais uma do Papa Francisco

    Por altura do Natal, as televisões noticiavam que o Papa, nos votos da quadra aos seus cardeais, teve esta contundente frase: “Fazer reformas em Roma…

  • Tiques à portuguesa

    Há fenómenos modísticos de linguagem e de outras naturezas que se manifestam ciclicamente na nossa sociedade. Alguns desses fenómenos esfumam-se com rapidez, outros perduram no…

  • A quem incomodam os achados arqueológicos do parque verde?

    Os achados arqueológicos do Parque Verde estão na ordem do dia. Depois de os ter ocultado à vereação e à população durante semanas, a câmara…

  • Verdade ou mentira

    A recente e ainda actual polémica sobre a Caixa Geral de Depósitos, bem mais que colocar na agenda dos dias a questão da honorabilidade da…

  • Vento ruim

    Um vento ruim sopra do outro lado do Atlântico. Ele, porém, foi prometido. Em regra, as promessas dos políticos, em campanha, são tudo menos terríveis.…

  • Caracteres

    Por razões que os enganos sempre explicam, para aceder à solicitação de colocar em 2.000 caracteres alguma ideia ou reflexão que a actualidade justificasse, dei…

  • Roma Æterna, às portas do Kremlin

    Nos tempos do império romano, falava-se da Roma Eterna, mas foi com o cristianismo que Roma conseguiu verdadeiramente sobreviver à caducidade dos séculos. Inclusivamente, alguns…