Opinião

Banner_JoaoPauloCosta

40 anos da Fundação do PSD

No intuito da alteração do anterior regime totalitário, foi muito importante o contributo que a chamada “Ala Liberal” deu, no sentido de demonstrar aos portugueses que havia soluções políticas distintas e democráticas. Aqueles que viriam a ser fundadores do PPD/PSD começaram, então, por defender ativa e convictamente os valores da social-democracia antes do 25 de Abril. Francisco Sá Carneiro destacou-se, devido à sua coragem e frontalidade com que abordou designadamente a defesa das liberdades individuais e coletivas.
Com o 25 de Abril de 1974, chegou a democracia, dando origem ao reconhecimento dos direitos fundamentais dos cidadãos e à adoção do pluralismo partidário. Estava assim, aberto o caminho à fundação de quaisquer partidos e, portanto, de um social-democrata.
O PPD/PSD nasceu a 6 de Maio de 1974. Há 40 anos. Integrando grande número daqueles que fizeram parte da chamada “Ala Liberal”.
O Partido Popular Democrático é apresentado por Francisco Sá Carneiro, Joaquim Magalhães Mota e Francisco Pinto Balsemão. Com a constituição deste novo partido cessava a “ Ala Liberal” e nascia o Partido Social Democrata. Mas resultava inequívoca a ligação entre os dois movimentos políticos.
Porquê PPD? À época abundavam os partidos políticos e tinha acabado de surgir o Partido Cristão Social-Democrata. Como o PPD afirmava a sua orientação social-democrata, foi necessário escolher uma designação que não se confundisse com o outro partido, com o qual nada tinha a ver. Em 1976, quando desaparece o PCSD, o PPD alterou a sua designação de forma a corresponder claramente à sua ideologia, e passou, então, a designar-se por PSD.
O PPD/PSD propõe a todos os portugueses uma sociedade em que cada indivíduo possa realizar-se como pessoa em liberdade, na igualdade de oportunidades e justiça, e em solidariedade com todos os outros cidadãos, com o direito de participação democrática na sociedade.

Outras notícias em Opinião

  • Jesus a espreguiçar-Se

    Quando o Papa fez 83 anos (17 de dezembro passado), ofereceram-lhe uma estampa que sintetiza o seu programa pastoral: a santidade “della porta accanto”, a…

  • Valores Sociais

    A doutrina social da Igreja (DSI) tem como orientações básicas seis princípios e quatro valores: os princípios, abordados nos artigos anteriores, são a dignidade humana,…

  • Seitas e Movimentos Religiosos

    Que as seitas são altamente prejudiciais à sociedade, todos reconhecem. Muitas pessoas, sobretudo entre os jovens, têm sido captadas por redes sectárias. Pensam, ingenuamente, que…

  • Um conto de Natal | As dúvidas de Renato

    Renato frequentava um curso superior, na cidade. Os pais viviam na aldeia. Eram crentes. Renato nem por isso. As aulas na Faculdade e a vida…

  • Princípios sociais, numa visão de conjunto

    Nos últimos artigos, foram apresentados os seis princípios da doutrina social da Igreja consagrados no respetivo Compêndio de 2004: dignidade humana; bem comum; destino universal…

  • A carta de Greccio

    S. Francisco de Assis foi pela primeira vez a Greccio por volta de 1209, numa altura em que a pequena cidade sofria o ataque de…

  • O Vaticano e as divindades pagãs

    A ideia de construir um museu nasceu há mais de cinco séculos na cabeça de alguns Papas. A palavra «museu» não existia e, menos ainda,…

  • Princípio da solidariedade

    O princípio da solidariedade é o último dos seis consagrados no Compêndio da Doutrina Social da Igreja (CDSI): ele sintetiza de algum modo os restantes,…

  • O Inferno, o Céu e a oração do rico

    O mês de novembro é dedicado aos mistérios do encontro ou desencontro com Deus. Pode ser um encontro feliz, inesgotável e exultante, ou pode ser…

  • Princípio da participação

    Cada um de nós faz parte de uma família; e, em maior ou menor grau, faz parte de uma ou mais associações, outras instituições, empresas,…