Opinião

Banner_CarlosBonifacio

A política do facto consumado

Durante anos foi alimentada a ideia de que Alcobaça necessitava de um campo alternativo ao relvado do Estádio Municipal. Passou a ser comumente aceite a ideia de que esta opção permitia uma maior fruição da população, dado que o estádio está entregue em exclusivo ao Ginásio para a prática do desporto federado.
Os vários executivos municipais nos últimos anos ensaiaram várias soluções que passaram até por uma eventual deslocação do Estádio Municipal que felizmente não foi por diante, mas mesmo que o fosse implicaria sempre a construção de um campo alternativo.
O recurso a um campo alternativo foi de tal forma assumido, que nos últimos 4 anos a Câmara procurou junto do Estado estabelecer uma permuta no sentido de ficar com parte dos terrenos da Estação Vieira Natividade para esse fim, permuta que não se veio a consumar por dificuldades de acordo. Esta opção previa a construção do campo alternativo sintético e a manutenção do relvado natural do estádio.
A mudança radical deu-se em meados do ano passado, em consequência da falta de alternativas a Câmara alterou por completo toda a sua linha de pensamento e colocou-se num beco sem saída ao rescindir o contrato de manutenção do relvado, não lhe restando outra alternativa, senão, optar por retirar a relva natural e aplicar um sintético que custará mais de 200 mil euros, numa clara e evidente falta de planeamento estratégico, empurrando desta forma, os problemas para a frente sem os resolver em definitivo.
A substituição do relvado por um sintético, que ninguém se iluda, não resolverá em definitivo os problemas do Ginásio, nem a fruição pelos munícipes ou outras instituições.
Do conhecimento que tenho, a regra em situações idênticas, tem sido manter os relvados naturais e recorrer aos campos sintéticos como alternativa. Este é mais um “caso sui generis”, em que Alcobaça acaba de vez com o único relvado do Concelho. Lamento pois, que a Câmara tenho ido pelo caminho mais fácil.
Ainda recentemente, em reunião de Câmara, propus a construção de um novo campo de futebol alternativo sintético nos terrenos da Quinta das Freiras (propriedade da câmara). O Presidente da Câmara não aceitou a proposta por considerar o terreno distante da cidade. Ainda contra-argumentei que a ligação entre o loteamento da Nova Alcobaça e a Quintas Freiras colocam este terreno a 400 metros da Rotunda junto ao “Pingo Doce”, mas a minha proposta foi mais uma vez ignorada e assim Alcobaça vai ficar sem campo alternativo e sem um relvado.
Garanto-vos que eu faria de forma diferente!

Outras notícias em Opinião

  • Lista de compras: uma tarefa para o seu dia

    A população portuguesa, e não só, está a passar por um período extremamente difícil e sensível. A saúde, bem como a saúde, estão em risco.…

  • O que posso fazer para me sentir melhor de quarentena em casa?

    Caro leitor, cara leitora, Durante os últimos dias, tem sido visível a quantidade de notícias que surgem nas televisões e nas redes sociais, sobre o…

  • Testemunho. Uma jovem fala como vive a atual quarentena

    Acho giro como o mundo lá fora anda tão silencioso, as pessoas tão bem-educadas e reservadas. Mas basta um suspiro, um sorriso, um olhar para…

  • Televisão em Alcobaça no início das emissões

    A televisão começou a funcionar regularmente em Portugal em 1957. Mas já há algum tempo se falava do início das emissões, e até se dizia…

  • Nas ruas desertas de Roma

    A imagem tem a força de um filme épico: Francisco caminhando pelas ruas desertas de Roma, para rezar pela cidade e pelo mundo. Saindo a…

  • Papagaios, abutres e gente boa

    As calamidades trazem sempre à tona qualidades e defeitos das gentes que as vivem. Aquela em que nos encontramos já nos “revelou” que há na…

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Os extraordinários desta vez são obviamente os…

  • “Una e santa”

    Pelo menos na Eucaristia de Domingo, no Credo, os católicos confessam que confiam na Igreja una e santa mas, perante a quantidade de protestos que…

  • Vamos açambarcar

    Está aí o Covid-19. Como tantas outras alturas de ameaça de crises, vamos lá a açambarcar. Dei por isto na passada semana quando fui ao…

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Os extraordinários da nossa região são do…