Opinião

Banner_CarlosBonifacio

A política do facto consumado

Durante anos foi alimentada a ideia de que Alcobaça necessitava de um campo alternativo ao relvado do Estádio Municipal. Passou a ser comumente aceite a ideia de que esta opção permitia uma maior fruição da população, dado que o estádio está entregue em exclusivo ao Ginásio para a prática do desporto federado.
Os vários executivos municipais nos últimos anos ensaiaram várias soluções que passaram até por uma eventual deslocação do Estádio Municipal que felizmente não foi por diante, mas mesmo que o fosse implicaria sempre a construção de um campo alternativo.
O recurso a um campo alternativo foi de tal forma assumido, que nos últimos 4 anos a Câmara procurou junto do Estado estabelecer uma permuta no sentido de ficar com parte dos terrenos da Estação Vieira Natividade para esse fim, permuta que não se veio a consumar por dificuldades de acordo. Esta opção previa a construção do campo alternativo sintético e a manutenção do relvado natural do estádio.
A mudança radical deu-se em meados do ano passado, em consequência da falta de alternativas a Câmara alterou por completo toda a sua linha de pensamento e colocou-se num beco sem saída ao rescindir o contrato de manutenção do relvado, não lhe restando outra alternativa, senão, optar por retirar a relva natural e aplicar um sintético que custará mais de 200 mil euros, numa clara e evidente falta de planeamento estratégico, empurrando desta forma, os problemas para a frente sem os resolver em definitivo.
A substituição do relvado por um sintético, que ninguém se iluda, não resolverá em definitivo os problemas do Ginásio, nem a fruição pelos munícipes ou outras instituições.
Do conhecimento que tenho, a regra em situações idênticas, tem sido manter os relvados naturais e recorrer aos campos sintéticos como alternativa. Este é mais um “caso sui generis”, em que Alcobaça acaba de vez com o único relvado do Concelho. Lamento pois, que a Câmara tenho ido pelo caminho mais fácil.
Ainda recentemente, em reunião de Câmara, propus a construção de um novo campo de futebol alternativo sintético nos terrenos da Quinta das Freiras (propriedade da câmara). O Presidente da Câmara não aceitou a proposta por considerar o terreno distante da cidade. Ainda contra-argumentei que a ligação entre o loteamento da Nova Alcobaça e a Quintas Freiras colocam este terreno a 400 metros da Rotunda junto ao “Pingo Doce”, mas a minha proposta foi mais uma vez ignorada e assim Alcobaça vai ficar sem campo alternativo e sem um relvado.
Garanto-vos que eu faria de forma diferente!

Outras notícias em Opinião

  • A força de um discurso

    Notável peça de oratória. O discurso do Cardeal D. Tolentino Mendonça, no dia 10 deste mês, tem de tudo: história, filosofia, poesia, teologia… Já tive…

  • Extraordinários. Basílio Martins

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. “O meu general”. Assim lhe chamava o…

  • Recomeço das missas em comunidade presencial

    Depois de todo este tempo em confinamento, durante o qual estivemos privados do acesso direto à Sagrada Eucaristia, todos celebrámos, com muita expectativa, a possibilidade…

  • Consultório de Psicologia

    Tenho filhos em idade escolar que precisam de apoio ao estudo. Como posso apoiá-los de uma forma eficaz? Caro leitor, cara leitora, As crianças são…

  • Os Choctaw e a Covid

    A tribo dos índios Choctaw é a terceira maior tribo de índios norte-americanos, logo depois das tribos Cherokee e Navajo. Entre os anos 1830 e…

  • Joana do Mar

    Isolamento… Quarentena… Distância… Palavras estas mencionadas tantas vezes recentemente, mas que na realidade fazem parte da vida de emigrantes. O meu nome é Joana do…

  • Tempos conturbados e a política do momento

    Caro/a Munícipe, Não estamos a viver num período de normalidade politica e a potencialidade libertadora da internet e da democracia soam um pouco a ingenuidade,…

  • Extraordinários. Joaquim Augusto de Carvalho

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Quando podem chegar a Portugal, se aprovado…

  • Afinal o que é a “dieta”?

    Diariamente as pessoas colocam a palavra dieta no seu discurso. Dieta para aqui, dieta para ali! Dieta disto, dieta daquilo! Certamente já ouviu a expressão:…

  • O futuro das coletividades durante e pós pandemia

    É nesta altura que todos temos que refletir sobre o estado e o futuro das nossas coletividades que sempre desempenharam um papel importantíssimo nas freguesias…