Opinião

Banner_AfonsoLuis

A riqueza de Alcobaça

Alcobaça é um concelho rico. A riqueza de um povo não se mede apenas por indicadores económicos, mede-se, fundamentalmente, por indicadores de índole cultural. E, neste aspeto, Alcobaça surpreende.
Todos quantos se deslocaram ao Cine Teatro, na tarde do domingo de Páscoa, dia 8 deste mês de abril, para assistir à I Gala d’O Alcoa, não terão deixado de se surpreender pela força, pela pujança da cultura de um povo, o povo do concelho. O dia 8, que este ano coincidiu com a Páscoa, é data emblemática para Alcobaça, pois foi neste dia, no ano longínquo de 1153, que o nosso primeiro rei fundou a Abadia de Santa Maria de Alcobaça, mediante a correspondente Carta de Couto. A Gala começou justamente com a leitura desse documento. Depois… bom, depois houve de tudo. Música para todos os gostos, arte para regalo da vista, estes os principais ingredientes de quase quatro horas de encanto. Em boa hora, os responsáveis deste jornal deitaram mão ao que de melhor há na região. Com critério, a avaliar pelo elevado nível das atuações. Notou-se como, um pouco por todo o nosso concelho, a cultura, a tradição de um povo brota mais ou menos espontaneamente, sempre sob orientação de gente mais experimentada. Os mais jovens e os seniores encantaram o auditório, uma sala completamente cheia de espetadores e de entusiasmo, e que, por isso mesmo, se terá tornado pequena.
Os apresentadores, gente da casa, foram inexcedíveis no feed back estabelecido e no humor fino exibido. A jornalista Sara Vieira e o diretor adjunto Jero souberam preencher com tato e inteligência todos os tempos do espetáculo. Até a atribuição dos Alcoas d’Ouro às diversas personalidades e instituições da região se processou de forma ligeira, agradável, nos intervalos das atuações.
No final, dizia-me um dos galardoados com um Alcoa d’Ouro que “as televisões transmitem muitas galas que não atingem o nível desta”. E é verdade, por isso muita gente ficou com água na boca, como que a dizer “para o próximo ano venha de lá mais uma”.
Não há dúvida: foi um regalo de gala.

Outras notícias em Opinião

  • As sementes na sua dieta

    O equilíbrio é extremamente importante na dieta diária, bem como o fraccionamento e a diversidade. As sementes são uma opção uma vez que conferem diversidade,…

  • Extraordinários. Manuel Castelhano

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Exalte-se a boa gestão, numa semana em…

  • Vinho contribui para o pão de um milhão de portugueses

    Na agricultura alcobacense de há sessenta e tal anos, não havia semana-inglesa, muito menos americana, que seria considerada uma modernice, sem viabilidade. Só não se…

  • Uma figura que emerge

    O Alcoa noticiou, na última edição, que o novo presidente da CEP (Conferência Episcopal Portuguesa) é o bispo de Setúbal, D. José Ornelas. Tendo tomado…

  • A força de um discurso

    Notável peça de oratória. O discurso do Cardeal D. Tolentino Mendonça, no dia 10 deste mês, tem de tudo: história, filosofia, poesia, teologia… Já tive…

  • Extraordinários. Basílio Martins

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. “O meu general”. Assim lhe chamava o…

  • Recomeço das missas em comunidade presencial

    Depois de todo este tempo em confinamento, durante o qual estivemos privados do acesso direto à Sagrada Eucaristia, todos celebrámos, com muita expectativa, a possibilidade…

  • Consultório de Psicologia

    Tenho filhos em idade escolar que precisam de apoio ao estudo. Como posso apoiá-los de uma forma eficaz? Caro leitor, cara leitora, As crianças são…

  • Os Choctaw e a Covid

    A tribo dos índios Choctaw é a terceira maior tribo de índios norte-americanos, logo depois das tribos Cherokee e Navajo. Entre os anos 1830 e…

  • Joana do Mar

    Isolamento… Quarentena… Distância… Palavras estas mencionadas tantas vezes recentemente, mas que na realidade fazem parte da vida de emigrantes. O meu nome é Joana do…