António Vieira. “Temos de aproximar as empresas e as escolas”

PERFIL

Nome: António José Pereira da Silva Vieira

Idade: 56 anos

Naturalidade: Alcobaça

Formação académica: Licenciado em Matemática Aplicada, Mestre em Gestão Escolar

Atividade profissional: Professor do Ensino Secundário

Lema de vida: “Contribuir para a felicidade das pessoas”

Porque se candidata e que capacidades o diferenciam? Como responde aos que olham para o CDS como um partido em apagamento e que aqui vai a votos não coligado?

O que me leva a candidatar-me é o facto de estar descontente com a forma como o nosso concelho está a ser conduzido. Assistimos ao descontentamento geral das pessoas, vemos que a nossa cidade, Alcobaça, está cada vez mais abandonada, pelo que sinto a necessidade de contribuir para inverter esta tendência, com ideias diferentes, soluções novas para problemas antigos, querendo ver a felicidade das pessoas quando falamos de Alcobaça, o que não acontece neste momento; sente-se que as pessoas estão tristes, os comerciantes estão desmotivados. Há muito que fazer!

Considero-me ainda um jovem que gosta de apostar nos nossos jovens e nas suas ideias, e que gosta de ouvir as pessoas, os empresários, os especialistas nos vários assuntos e de decidir em prol de todos e não apenas de alguns.

Em eleições autárquicas não devemos pensar em partidos, mas sim nas pessoas que se candidatam, analisando as suas qualidades, a sua carreira profissional, se é um bom cidadão, se respeita e é respeitado pelos demais cidadãos, se demonstra capacidade e competência para as funções a que se candidata, se apresenta ideias e soluções para os problemas a resolver, e assim decidirmos, em consciência, pela pessoa que, na nossa opinião, nos irá representar da melhor forma, completamente alheados das siglas partidárias, pois as siglas servirão, no meu caso e de outros candidatos, para a pessoa votar, pois para votarem em mim, terão que votar no CDS-PP, partido que me apoia, embora eu seja independente, ou seja, não sou filiado no partido.

Quais as suas prioridades na gestão do concelho?

-Reposicionar Alcobaça, com carácter de urgência, mas de forma sustentada, no contexto regional e nacional, afirmando a cidade e o concelho como localização de excelência, propícia à instalação de negócios, à fixação de jovens e de jovens casais;

-Apostar, de modo sustentado, nas condições naturais e no ambiente, de forma a conjugar natureza com a qualidade de vida dos habitantes e residentes no concelho de Alcobaça;

-Concentrar esforços nos domínios da Cultura, Turismo Cultural e das Indústrias Criativas, atribuindo-lhes o cunho de fatores dinamizadores da economia local;

-Dotar a cidade e o concelho de serviços que sirvam as necessidades das pessoas e que sirvam de atração a pessoas e a movimento comercial;

-Criar as condições necessárias para que alguns dos nossos jovens, com menos possibilidades, possam continuar os seus estudos para além do 12º ano ou equivalente, na nossa cidade;

-Reforçar a coesão territorial, intervindo nas freguesias no sentido de corrigir assimetrias. Todos os munícipes contam e têm o direito ao desenvolvimento.

Como contrariar a perda de habitantes? Como tornar o concelho mais atrativo e competitivo?

Temos que pensar seriamente em aproximar, o mais possível, as empresas e as escolas, podendo e devendo o Município moderar esta aproximação no sentido de os cursos profissionais ministrados nas nossas escolas formarem os jovens de acordo com as necessidades das empresas e assim poderem ingressar no mercado de trabalho, e não terem a necessidade de saírem do nosso concelho à procura do que podem ter junto dos seus amigos e familiares. Com emprego, podem fixar-se, constituindo o seu agregado familiar e adquirir o seu lar no nosso concelho, sendo, para mim, a principal forma de fixar jovens e jovens casais.

Uma das principais apostas deverá ser nos jovens, na sua fixação e desenvolvimento onde para eles será sempre mais fácil, junto dos seus, sendo esta aposta transversal a todas as atividades do concelho. Aqui também podemos referir uma das principais atividades económicas do nosso concelho, que é a agricultura, na qual também devemos apostar fortemente. 

O que faria no âmbito do património, agora com o Mosteiro de Alcobaça na lista da UNESCO de Património Mundial em Risco, com as obras em curso para instalação do hotel?

Temos que, de facto, não só olhar para o nosso património, mas sim olhar por ele, cuidando dele, dando-lhe o valor que merece, para que o seu valor não só se mantenha, mas sim aumente. Mas para tal, é necessário muito mais do que o que se tem feito ao longo destes anos.

É de facto muito preocupante esta integração. Temos que analisar o porquê e agir muito rapidamente, antes que seja tarde.

O que faria para a comunidade católica de Alcobaça ter, como dita a lei, afetação permanente ao culto e acesso ao Mosteiro, que é hoje a Igreja Paroquial, depois de três igrejas mandadas demolir no séc. XX?

Farei tudo o que estiver ao meu alcance para satisfazer a vontade das pessoas. 

Que repto tem a dirigir aos seus opositores?

Nós não somos adversários e muito menos inimigos. Somos parceiros, pois queremos o melhor para o nosso fantástico concelho. Por isso, com respeito e determinação, juntos podemos ir muito longe.

Por que devem os eleitores votar em si?

Porque quando me dedico a um projeto, seja ele qual for, tendo ele a dimensão que tiver, faço-o sempre de corpo e alma, respeitando tudo e todos.

Qual a primeira medida que tomaria?

Motivar todos os colaboradores da câmara municipal. Um líder tem que motivar toda a sua equipa e só assim consegue ir longe e fazer obra que perdure no tempo e satisfaça as pessoas. Entendo por colaboradores, todos os que contribuem para o trabalho que é desenvolvido por uma câmara municipal.

A entrevista foi concedida por escrito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found