Breve consideração sobre “Centro Histórico”

Os chamados Centros Históricos são locais que nos transportam no tempo e nos permitem imaginar vivências anteriores. Criados em tempos antigos foram, aos poucos e poucos, adaptando-se às necessidades das comunidades e, não raras vezes, extrapolaram os limites físicos que lhes deram origem.
Muitas vezes edificados ao redor de um edifício eclesiástico, outras partindo de zonas de grande actividade social e económica, as arquitecturas e espaços urbanos acompanhavam o ritmo social, o burburinho de uma qualquer comunidade. Com o decurso do tempo foram sendo criadas zonas de expansão com a inevitável mutação da traça urbana que se foi alterando e adaptando-se, mais uma vez, às necessidades sociais e económicas da comunidade residente. E assim tem sido até ao presente. No entanto, o grande problema que se coloca, e se tem colocado, no âmbito da gestão de alguns centros históricos, prende-se com a insipiente preservação dos mesmos, com maior incidência nas povoações litorais, em que a pressão urbanística se faz sentir com maior vigor.
Em muitos casos, os chamados Centros Históricos vão-se esvaziando da componente social e económica de raiz, dando lugar a reabilitações arquitectónicas mais adequadas à utilização turística e “empurrando” os antigos residentes para zonas periféricas. Perde-se a ligação entre o território, o social e a história que lhe estaria subjacente. É necessário implementar medidas por forma a que os Centros Históricos não fiquem desertos, impedidos de transmitir, geração após geração, a sua memória, a sua identidade.
Os Centros Históricos, hoje, são museus – os que ainda se preservam – para turista ver, viver e/ou usufruir, enquanto que as populações autóctones olham para trás e apenas podem rememorar a vivência do passado. Um centro histórico não o é sem a vertente humana por muito importantes que sejam os monumentos que dele façam parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Candidaturas abertas

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

Porto de Mós. O projeto do baile dos pastorinhos

08 Mai | Sáb | 09:00

Leiria. O festival de música

15 Mai | Sáb | 19:30

Teatro José Lúcio da Sílvia, Leiria

Porto de Mós. Caminhada nas Minas da Bezerra e Serra da Pevide

08 Mai | Sáb | 09:30

Serra de Aire e Candeeiros, Porto de Mós

Caldas da Rainha. A exposição da ESAD

06 Mai | Qui | 09:00

ESAD, Caldas da Rainha

Leiria. Conferências de saúde, de economia e de ambiente

05 Mai | Qua | 14:30

Teatro Miguel Franco, Leiria

Alcobaça. Biblioteca convida à conversa com…

10 Abr | Sáb | 11:00

online