Doces Conventuais. Qualidade da doçaria considerada muito elevada

No ano das comemorações dos 20 anos da mostra, o Mosteiro de Alcobaça voltou a receber os melhores doces e licores conventuais. Os prémios, entregues ao final da tarde do primeiro dia do certame, trouxeram surpresas na eleição do melhor doce conventual. Nesta edição, não foi eleito o Melhor Doce Conventual, tendo havido três menções honrosas, todas equivalentes. O motivo da decisão deve-se ao facto de “ a qualidade da doçaria estar muito elevada e é muito difícil ao júri escolher um primeiro prémio”, disse Inês Silva, vereadora da cultura, em nome de todos os júris. A inauguração foi feita pela secretária de Estado da Cultura, Ângela Carvalho Ferreira, e pelo presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, Paulo Inácio. Até domingo, dia 18 de novembro, poderá provar todas as iguarias trazidas pelos mais de 30 participantes.

 

PRÉMIOS

Melhor Licor Conventual:

1º Prémio – Licor de Singeverga, Mosteiro de Singeverga (Santo Tirso)
Menção Honrosa
– Licor de framboesa, Licores Abbatiale (Alcobaça)

Melhor Compota Conventual: Figo com Vinho do Porto, Monjas Cistercienses de São Bento da Porta Aberta (Terras de Bouro)

Menções Honrosas Doce Conventual: “Amor Meu”, Atelier do doce (Alcobaça)

“Barriga de Freira”, Pastelaria Alcoa (Alcobaça)

“Pão de Ló de Ovar”, Flôr de Liz (Ovar)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found