Opinião

Banner - OPINIAO Carlos Bonifacio

É preciso romper com a estagnação!

Soaram as campainhas de alerta em relação à demografia no concelho de Alcobaça, dados do Instituto Nacional de Estatísticas mostram uma quebra preocupante de mais de 3.000 habitantes em 7 anos, passando de 56.693 em 2011 para 53.641 em 2018, tal realidade deve-nos merecer a máxima atenção mas esta câmara insiste em dar prioridade ao acessório em vez de tratar do essencial.
Esta quebra tem uma expressão muito preocupante na fuga de população activa e em particular de jovens qualificados, por isso, é necessário inverter as prioridades e passar a tratar o que é importante e urgente. Alcobaça apesar de ser um concelho do litoral dá sinais de interioridade.
A aposta em áreas de localização empresarial devem constituir uma prioridade, por isso, a aposta na Área Industrial de Benedita é assertiva, apenas peca por tardia. Mas esta determinação não pode ficar circunscrita a este projecto, deve ir mais além e chegar à ampliação da Zona Industrial das Alvas em Pataias. Um projecto adiado há anos, sendo necessário voltar a desafectar os terrenos da reserva florestal, porque entretanto a câmara deixou caducar a sua desafectação. Considero esta zona industrial estratégica para a zona norte do concelho, como forma de estancar a “fuga” de pessoas. Lamento que a câmara continue distraída perante esta realidade preocupante e não dê prioridade a este projecto.
A zona Industrial do Casal da Areia encontra-se nesta altura a mais de 80% em termos de ocupação de lotes. O Município deve pensar antecipadamente numa solução de futuro que passe pela sua ampliação sob pena de ter um grave dissabor a breve prazo.
Mas não é só no desenvolvimento económico que se deve apostar. Sou defensor há anos da construção de uma infra-estrutura no Mercado Municipal (com fundos europeus já garantidos) para receber os milhares de turistas que anualmente chegam à cidade de Alcobaça. É preciso romper com o marasmo nesta área e procurar novas oportunidades para fixar turistas e gerar negócios. Desperdiçar a oportunidade de criar este equipamento é algo não tolerável para um gestor público. É tempo de Alcobaça acordar e apostar em investimentos que possam trazer retorno e fixar pessoas.

Comentários (1)

  • António Fernandes - 17 de Março de 2020, 22:13

    Esta-se a falar do Concelho de Alcobaça. E como tal, é urgente que os senhores decisores sejam sérios e competentes, em relação ao PDM.

Outras notícias em Opinião