Opinião

Facebook - editorial anacaldeira_diretora

Editorial

O combate à pandemia, como a qualquer crise, evidencia que a solução é a cooperação e não o divisionismo.
A vacinação de profissionais de lares de idosos deverá começar na região na próxima semana. Ainda que, infelizmente, pareça mais importante assegurar que não foram maltratados animais do que a não utilização de fetos humanos, são de registar os avanços científicos e a cooperação internacional que permitiram, em tempo record, descodificar o vírus e produzir uma vacina para o combater. Como afirmam, nesta edição, profissionais de saúde, a vacina parece ser crítica para salvar vidas e para o retorno à normalidade de contactos, trabalho e afetos.
E será a colaboração, e não a divisão, que permitirá ultrapassar a pandemia e seus efeitos. Aqueles para quem a pandemia veio demonstrar que o Estado é o grande motor do desenvolvimento esquecem que as vacinas foram desenvolvidas por empresas privadas. É curioso que a ministra da Saúde, que diz ouvir para se acalmar a Internacional Socialista, o Hino da União Soviética de Lenine e de Estaline, tenha convocado conferências de imprensa em cinco hospitais diferentes no 1.º dia de vacinação, empunhando orgulhosa um produto da indústria farmacêutica privada. A ministra que não encaminhou doentes para fazerem exames em hospitais privados. Como eu, todos conhecerão doentes oncológicos com exames adiados durante meses. O ALCOA fez aliás notícia do número acrescido de mortos na região de doentes não-Covid. Em contraponto, há aqueles cegos defensores do capitalismo selvagem que, mesmo agora, desvalorizam o Estado e criticam os apoios sociais públicos quando há tantos, sobretudo trabalhadores privados e pequenos empresários, que viram a sua subsistência posta drasticamente em causa. Não é o antagonismo entre público e privado, entre homens e mulheres, entre brancos e negros, entre nacionais e estrangeiros, que trará a solução para esta ou qualquer crise.
Agora, que cheguem mais vacinas e que sejam rápida e eficazmente administradas. E que o mundo, o país, a região, possam tirar as máscaras do que divide os seres humanos e empreendamos passos novos de colaboração e fraternidade!

Outras notícias em Opinião

  • Um ano de esperança: 2021

    Desejo a todos os leitores, um bom início de ano! Esperemos que seja um ano de liberdade e sem grandes restrições que nos limitem a…

  • Breve consideração sobre “Centro Histórico”

    Os chamados Centros Históricos são locais que nos transportam no tempo e nos permitem imaginar vivências anteriores. Criados em tempos antigos foram, aos poucos e…

  • Casa do Relego: desaparecimento e história

    Na vila de Alfeizerão, até há pouco tempo, existia uma casa do Relego. Porém, os seus proprietários decidiram demolir o que restava do edifício. Com…

  • A eleição do ano

    “As eleições do país mais poderoso do planeta dizem também respeito ao planeta”, escrevi aqui, no dia 12 de Novembro passado. A importância maior destas…

  • Quem aponta a Luz do Mundo?

    No século XVI, a descoberta do alçapão de entrada para umas catacumbas esquecidas, na via Salaria, ofereceu à Igreja um olhar novo sobre a comunidade…

  • Desafios desta época festiva

    O mês de dezembro é, por norma, uma época de bem-estar, alegria pessoal e familiar. Porém, os convívios natalícios deste ano acabam por estar comprometidos,…

  • Extraordinários. 75 anos d’O ALCOA

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. O mundo vivia uma crise profundíssima, enquanto…

  • Coco, uma opção saudável?

    Será o coco um alimento a integrar na sua dieta? Hidratação, reposição dos sais minerais, regulação do intestino e auxílio no processo de emagrecimento são…

  • O orçamento municipal

    Ouvimos grandes discussões políticas sobre o Orçamento de Estado todos os anos e sabemos que ali estão definidas regras com impacto nas nossas vidas. O…

  • Heranças e tradições familiares

    As heranças e tradições criam memórias inesquecíveis que carregamos, mesmo que inconscientemente. Se fizer uma viagem ao passado, irá ter memórias de infância relativas aos…