Empresários, executivos e empresas (II)

M (…) tinha frequentado com aproveitamento a Escola Comercial mas, talvez lhe faltasse o verdadeiro requisito do sucesso, o velhinho Toque de Midas. Uma vez, confessou-me sem acrimónia que gostaria de ver deste Poder não a rejeição, mas uma evolução nas Novas Oportunidades, em lugar de se fazer delas um instrumento de correção de estatísticas, encaminhá-las, também, para um melhor desempenho de mão-de-obra e apoio efetivo aos novos e antigos empresários. Mas parece que M (…) possuía excesso de habilitações (escolares) e o programa daquelas não se coadunava com os seus propósitos específicos. Existem diferenças de fundo (que destacaremos sem juízos de valor ou hierarquias) entre um Empresário e um Executivo. O primeiro, como M (…), começou o negócio, foi o seu dono durante muito tempo, geriu-o com o seu sentido de oportunidade. Acontece que nem sempre bons empresários são bons gestores, aptos para dominar o negócio enquanto é pequeno, mas a perdê-lo quando atinge patamares mais elevados ou se defronta com insuspeitos desafios como a necessidade de aceder a mercados externos. Os empresários dormem menos, assumem o risco e recebem os frutos da iniciativa, bem como respondem pelo fracasso. Os executivos, na sua maioria, prepararam-se para assumir negócios dos outros. Uns empreendem, outros administram, estes pensam no crescimento e nos lucros, na imagem da empresa e no resultado final, aqueles pensam nisso tudo, mais as questões (internas, que muito sono lhes tiram) que concorrem para os fins. Os empresários só deixam as empresas quando um deles morre, pois elas são o seu projeto de vida, vivem por elas e para elas. Os executivos até podem ser algo semelhantes, mas nada os impede de pedir demissão, serem demitidos ou ir trabalhar para fora, pois possuem um projeto, eventualmente, independente da empresa. Os empresários são necessários para uma sociedade mais plural, com mais produtos e serviços ofertados, enfim, mais oportunidades de crescimento. Os executivos são necessários para que a organização seja mais eficiente e eficaz. Empresários geram riqueza e ficam com boa parte dela. Executivos geram soluções que possibilitam essa riqueza e recebem uma remuneração para isso.
Qualquer um pode ser empresário, mas somente profissionais podem ser executivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Candidaturas abertas

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

Alcobaça. Biblioteca convida à conversa com…

10 Abr | Sáb | 11:00

online

Encontros em Rede: Reimaginar os Museus a 26

05 Abr | Seg | 15:00

Página de facebook da Rede Cultura 2027