Opinião

Psicologa_Ana_Grazina

Estar constantemente em casa, com filhos e companheiro(a), por vezes torna-se caótico e resulta em alguns conflitos. O que posso fazer?

Caro leitor, cara leitora,

Em tempos de isolamento, onde se deve manter por casa e até mesmo trabalhar nela, existe a vantagem de estar no conforto do seu lar, mas isto pode trazer também algumas desvantagens e a convivência em família pode tornar-se um caos. Permita-me algumas sugestões simples para que consiga conviver de uma forma mais positiva com os membros da sua família.
Em primeiro lugar, sugiro que mantenham os vossos hábitos e horários e, se não os tiverem, adotem uma rotina que seja mais ou menos comum a todos os elementos.
Uma outra proposta é que tente criar ou distribuir tarefas por cada um dos membros da sua família. Podem ser tarefas que até então não faziam ou não sabiam fazer. Tarefas relacionadas com a higiene e organização da casa, por exemplo, parece-me uma boa aposta já que assim dividem o trabalho por todos.
Para os elementos de casa que estão em teletrabalho, sugiro que determinem um espaço da casa para o fazer, para que não sejam incomodados e para que sintam que aquele local tem essa função. Depois do trabalho, vai-lhe saber melhor esticar as pernas no sofá e relaxar.
Por último, comunique de forma clara com os restantes elementos da família para que tudo o que gosta ou não gosta e tudo o que quer ou não quer seja ouvido pelos restantes membros e, assim, cheguem a entendimento com compreensão.
Importa referir que, na fase que vivemos, existe uma tendência de procrastinação, adiar as tarefas, pelo facto de estar em casa e de não haver obrigatoriedade no vestir, no deitar, no comer. Contudo, aproveito para o(a) relembrar que esta fase irá passar e que os bons hábitos devem ser mantidos, para que o retorno à rotina anterior decorra de forma serena e pouco drástica.

Outras notícias em Opinião