Opinião

Banner_AnaCaldeira

Eu tenho um sonho

Um sonho para Alcobaça. Um sonho para o Mosteiro.
O sonho de quem nos visita possa levar mais do nosso Mosteiro. Que possa ser uma experiência mais rica de fé para aqueles que a têm. E que todos, crentes e não crentes, se deslumbrem com a ciência e a cultura dos homens que o fundaram e lhe deram vida durante quase sete séculos.
Que haja uma melhor interpretação (para usar a expressão cientificamente correta!) do monumento: quer dirigida ao turismo cultural, quer dirigida ao turismo religioso (filão tão desaproveitado com Fátima aqui ao lado…).
Que houvesse recriação fide-
digna de ambientes e atividades monásticas. Tocando a música do silêncio. Iluminando a História. Transportando ao passado.
Convocando ao futuro.
Que houvesse informação mais criativa. Interpelante. Surpreendente. Acordando os visitantes. Provocando-os no bom sentido. Marcando-os de forma profunda
e impressiva.
Um programa interpretativo em que a comunidade paroquial – que continua hoje o legado dos monges de Cister e mantém o sentido do Mosteiro de Alcobaça – participasse. Tomando parte ativa sobretudo na informação e animação dirigidas ao turismo religioso.
Logo à chegada. «Dizer» o que representa para nós. O nosso Mosteiro é encontro de irmãos. Altar do nosso domingo. Espaço sagrado. Caminho para o Céu.
«Dizer» como nos orgulhamos e amamos o nosso Mosteiro. E a memória dos que no-lo deram.
«Dizer». Pela mensagem mas também pela presença. Pelo acolhimento. Dos braços abertos do Crucificado e dos nossos.
E abrindo caminho a uma refundação da Ordem de Cister em Alcobaça. Aliada à recuperação patrimonial como em Pomblet, na Catalunha, ou em Boulaur, na França. Restituindo – como aconteceu recentemente com o Mosteiro de Vyssi Brod, na República Checa – aos monges brancos, neste caso, de um pouco do espaço que é todo seu. E retomando a genuína hospedaria, obrigatória em qualquer mosteiro beneditino.
Mesmo que o Estado muitas vezes nem faça nem deixe fazer. Mesmo que projetos postiços ou improváveis consigam mais visibilidade que este ao nosso alcance.
Mesmo que… Eu tenho um sonho.
E este é o Ano da Fé. Momento de sonho e de esperança. De desafios. Para cada um. Para o Mosteiro. Para Alcobaça. Para todos.

Comentários (1)

  • Margarida Mateus - 2 de Novembro de 2012, 12:22

    Querida Ana, obrigada pela partilha do teu sonho!
    Muito bonito. Colorido. Ao entrar nele, consegui ver movimento, cores, cheiros, gestos, pessoas, culturas, sorrisos, espanto, pensadores, atores, vestes, terra, pedra, som, silêncios, espaço, tempo… Que os homens de hoje ousem pôr “mãos ao caminho”… na construção de um sonho partilhado e agido. Por Alcobaça. Pelas pessoas de Alcobaça. Pelo Mosteiro. Pelas pessoas que o queiram visitar e sentir a vibrar num acord[ar] que é mote e que é tom… de um som maior!
    Abraço e bem haja pelo empenho pessoal que colocas generosamente no Jornal que é de todos nós!!
    MM

Outras notícias em Opinião

  • Lista de compras: uma tarefa para o seu dia

    A população portuguesa, e não só, está a passar por um período extremamente difícil e sensível. A saúde, bem como a saúde, estão em risco.…

  • O que posso fazer para me sentir melhor de quarentena em casa?

    Caro leitor, cara leitora, Durante os últimos dias, tem sido visível a quantidade de notícias que surgem nas televisões e nas redes sociais, sobre o…

  • Testemunho. Uma jovem fala como vive a atual quarentena

    Acho giro como o mundo lá fora anda tão silencioso, as pessoas tão bem-educadas e reservadas. Mas basta um suspiro, um sorriso, um olhar para…

  • Televisão em Alcobaça no início das emissões

    A televisão começou a funcionar regularmente em Portugal em 1957. Mas já há algum tempo se falava do início das emissões, e até se dizia…

  • Nas ruas desertas de Roma

    A imagem tem a força de um filme épico: Francisco caminhando pelas ruas desertas de Roma, para rezar pela cidade e pelo mundo. Saindo a…

  • Papagaios, abutres e gente boa

    As calamidades trazem sempre à tona qualidades e defeitos das gentes que as vivem. Aquela em que nos encontramos já nos “revelou” que há na…

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Os extraordinários desta vez são obviamente os…

  • “Una e santa”

    Pelo menos na Eucaristia de Domingo, no Credo, os católicos confessam que confiam na Igreja una e santa mas, perante a quantidade de protestos que…

  • Vamos açambarcar

    Está aí o Covid-19. Como tantas outras alturas de ameaça de crises, vamos lá a açambarcar. Dei por isto na passada semana quando fui ao…

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Os extraordinários da nossa região são do…