Opinião

Facebook - editorial anacaldeira_diretora

Extraordinários. D. Manuel Clemente

Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região.
Conheço a sua extraordinária cultura e afabilidade para com todos desde quando D. Manuel Clemente, por aqui, formava catequistas e escuteiros, e escreveu a “Nossa Senhora do Sim” que D. José Traquina musicou.
E assim continuou: sempre a falar de uma forma simplesmente espantosa e espantosamente simples. Nunca lhe ouço um Evangelho que eu não conheço. Como a outros que falam da misericórdia de Deus, sem exigência de conversão, como se esta vida fosse um recreio que termina, faça-se o que se fizer, «condenado» ao Céu. Ou, pelo contrário, como alguns esquecidos de que Jesus também disse que Deus prefere “a misericórdia ao sacrifício” e que sobrepõem a forma à essência do coração e das ações.
Agora uns católicos escreveram aos média dizendo-se envergonhados por D. Manuel Clemente (e o bispo de Aveiro) subscreverem o abaixo-assinado em defesa da objeção de consciência às aulas de Cidadania. Envergonharam-se com a assinatura do governante que faria excelentes alunos repetirem dois anos? Com a 2.ª figura do Estado antes se “c*gar para o segredo de justiça”? Com um deputado admitir a castração física? A sua vergonha foi para o Cardeal-Patriarca!! Já outro documento seu em linha com o Papa na Amoris Lætitia tinha dado brado. Na mesma exortação, escreveu Francisco: a “ideologia genericamente chamada gender (…) prevê uma sociedade sem diferenças de sexo e esvazia a base antropológica da família. Preocupa o facto de algumas ideologias deste tipo (…) procurarem impor-se como pensamento único que determina até mesmo a educação das crianças”. Vergonha o Cardeal-Patriarca estar em uníssono com o Papa Francisco?
Que bênção o extraordinário D. Manuel Clemente ser nosso bispo, pastoreando como Chesterton tão bem descreveu: “Não queremos uma religião que esteja certa onde estamos certos. O que queremos é uma religião que esteja certa onde estamos errados. Não queremos, como dizem os jornais, uma Igreja que se mova com o mundo. Queremos uma Igreja que mova o mundo”.

Outras notícias em Opinião

  • Os privilégios da terceira idade

    Sabe-se que Portugal é um pais constituído maioritariamente por idosos, que contrastam em grande número com a população mais nova. Hoje trago-vos um desafio para…

  • Saiba mais sobre os frutos secos

    A ameixa, o figo e as uvas secas são uma forma diferenciada de comer fruta. Porém, é importante ter a consciência que a forma seca…

  • Correr atrás do prejuízo!

    Os dados recentes do INE colocam Alcobaça como o 29.º concelho do país, em 308 municípios, onde o desemprego mais cresceu (+52%) e a perder…

  • Extraordinários. Profissionais de saúde

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. No dia seguinte a um tratamento que…

  • Uma alimentação mais saudável para envelhecer bem

    Envelhecer faz parte de nós, visto ser um processo natural dos seres vivos. A alimentação foi mudando ao longo dos último anos, e a maioria…

  • Liberdade, igualdade e fraternidade

    Coincidência. Numa altura em que este jornal edita um livro sobre todos os papas da Igreja, o Papa Francisco acaba de assinar, junto ao túmulo…

  • Maçã vs Pera

    Maçã e pera: duas frutas que conseguimos encontrar o ano inteiro, sendo a sua colheita realizada, essencialmente, nos meses de agosto e setembro. Para além…

  • Um Concelho à deriva

    O jornal “Expresso” desta semana publicou um gráfico dos Concelhos com maior taxa de desemprego e o consequente disparo provocado pela pandemia, onde Alcobaça se…

  • Café, um simpático «despertador»

    O café é das bebidas mais consumidas em todo o mundo. Na bebida em questão, encontramos vários compostos benéficos para a saúde, os compostos fenólicos.…

  • A ciência da vida

    As etapas da vida são terríveis e olhar em frente para arranjar força e coragem para o próximo desafio é muito complicado. Não há vidas…