Opinião

Facebook - editorial anacaldeira_diretora

Extraordinários. Músicos

Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região.
A região tem sido berço de artistas e eventos musicais de excelência.
A voz de Maria de Lurdes Resende e a maestria de Bello Marques notabilizaram “Quem passa por Alcobaça…”. Em 2017, o extraordinário cantor lírico Fernando Serafim foi distinguido pelo ministro da Cultura pelos seus 50 anos de carreira. O notável Aníbal Freire criou, em 1999, a Semana Internacional de Acordeão, colaborando também na Orquestra Típica e Coral de Alcobaça. O contratenor Luís Peças é outro magnífico protagonista alcobacense do canto lírico.
A Banda de Alcobaça, criada em 1920, ressurgiu em 1985, muito por mérito do maestro Álvaro Guimarães e Daniel Figueiredo. Em 1992, nasceria o festival Cistermúsica. Em 2002, a Banda de Alcobaça criou a sua academia. No concelho, a persistência local mantém também vivas as extraordinárias Sociedade Filarmónica Maiorguense (fundada em 1884), Sociedade Filarmónica Vestiariense “Monsenhor José Cacella” (1906) e Sociedade Filarmónica Turquelense (1913).
Vindos destas bandas, viriam a ganhar grande realce Manuel Campos, Sérgio Carolino, Rúben da Luz, Pedro e Manuel Marques, entre outros.
Outro nome maior é Adelino Mota. O diretor artístico do Festival de Jazz de Valado dos Frades, que se iniciou na Sociedade Filarmónica Maiorguense, fundou a Orquestra Juvenil de Valado dos Frades, a Escola de Música de Famalicão e a Big Band do Município da Nazaré.
Na área pop rock, José Alberto Vasco e Carlos Nunes, criaram o “Concurso de Música Moderna” no “Bar Ben”, palco de referência como mais tarde foi o “Clinic”. Os conceituados The Gift nasceram a partir desse concurso, mas outras bandas alcançaram relevo como os Loto, Sidewalkers ou recentemente os Cavaliers of Fun, Plastic People e Churky, que venceram edições do EDP Live Bands.
Sobre o contributo de todos estes e de outros excelentes músicos e eventos que ficaram por nomear, que a música seja cada vez mais razão para não passar sem aqui voltar.

Outras notícias em Opinião