Fechar o país a cadeado

Alcina Gonçalves
Empresária - Turismo e Animação

“Este homem se pudesse fechava o país a cadeado”. A frase é da minha mãe. Referia-se a Rui Rio, o líder do maior partido da oposição. Tenho dúvida que o PSD seja oposição a alguma coisa. A minha mãe é uma mulher sábia, trabalhou muito para cuidar de oito filhos, posso afirmar que sabe o que custa a vida. Rui Rio se pudesse teria fechado o país a cadeado. Um homem que quer fechar o país a cadeado, não serve para primeiro-ministro.
A emergência na saúde pública, a proteção aos idosos, a proteção dos doentes, ter um SNS robusto, exigir tudo isto ao governo era normal e necessário. Exigir e apoiar que se feche quase tudo não é de um líder preocupado com os portugueses. Houve e vai continuar a haver destruição de vidas, não pela covid, mas pelo desemprego, miséria, fome, problemas psicológicos. Temos um presidente hipocondríaco, foi o primeiro a confinar em Março de 2020, um primeiro-ministro que oscilou entre a economia e a saúde, a pressão era muita dum lado e do outro. O medo condicionou todas as decisões. Mais tarde, vamos quase todos perceber que houve exagero, alguns líderes europeus para justificar a sua incapacidade de governar, para justificar a falência do capitalismo (falência notória nos sistemas de saúde), optaram por fechar parte das pessoas em casa. Retirando-lhe o sustento e a liberdade. As medidas, muitas vezes, copiadas e decalcadas de país para país foram de uma incoerência total. Um grande supermercado podia estar cheio, mas uma loja de sapatos não podia ter um cliente. Podia haver uma fila para comprar a raspadinha, mas não se podia comprar um livro. Vedou-se o acesso à praia, mas o metro esteve sempre cheio. As fábricas, a construção nada parou, pequenas lojas eram centros de covid. Felizmente houve países, poucos, que fizeram diferente, a história e o tempo vão dar-lhes razão.
Perante tanto absurdo e incoerência, onde andou a oposição? A exigir medidas ainda mais duras. Vamos todos ficar em casa, que vai ficar tudo bem. Não vai ficar tudo bem, Dr. Rui Rio e estou convencida que o senhor também não vai ficar bem, até porque a única medida que propôs foi um prémio aos heróis. Quais heróis?

Alcina Gonçalves
Empresária - Turismo e Animação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Sem-título-1

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

Porto de Mós. O projeto do baile dos pastorinhos

08 Mai | Sáb | 09:00

Leiria. O festival de música

15 Mai | Sáb | 19:30

Teatro José Lúcio da Sílvia, Leiria

Porto de Mós. Caminhada nas Minas da Bezerra e Serra da Pevide

08 Mai | Sáb | 09:30

Serra de Aire e Candeeiros, Porto de Mós

Caldas da Rainha. A exposição da ESAD

06 Mai | Qui | 09:00

ESAD, Caldas da Rainha

Leiria. Conferências de saúde, de economia e de ambiente

05 Mai | Qua | 14:30

Teatro Miguel Franco, Leiria

Alcobaça. Biblioteca convida à conversa com…

10 Abr | Sáb | 11:00

online