Flores do Campo 50 anos a dançar e a cantar tradições

Quando o gosto pela preservação e divulgação dos usos e costumes de uma terra se une à vontade de dançar, o resultado só pode ser 50 anos a levar «Flores do Campo» do Valado pelo mundo fora.
Foi em 1964, quando um grupo de jovens valadenses, pertencente à Juventude Agrária Católica, ganhou a Taça da Alegria, um concurso de danças e cantares realizado em Rio Maior, que nasceu o Rancho Folclórico Flores do Campo. A partir daí, muitas foram as atuações e os troféus colecionados, algumas centenas expostos no museu improvisado, da velhinha escola primária do Valado, onde ensaiam a largas horas da noite. Mas este não é apenas mais um rancho de valsas, viras e danças de roda. Existe neste grupo, que se tem vindo a renovar, ano após ano, um trabalho de pesquisa e um cuidado especial em retratar as suas raízes e a cultura através da interpretação de momentos etnográficos, como a recriação do mercado antigo, da desfolhada, ou da lavagem da roupa no rio. Reconstituição de usos e costumes muito importante para avivar memórias esquecidas e ensinar as gerações mais novas, de como se vivia antigamente.

(Saiba mais na edição em papel de 8 de janeiro de 2015)

Uma resposta

  1. Boa Noite. Em 1964 juntamo-nos para os primeiros ensaios, mas foi em 1965 que ganhamos a Taça da Alegria em Rio Maior. Faz dia 10 de Janeiro de 2015, 50 Anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found