Opinião

Banner_JosePedroTrindade

Intenção da descoberta

Dois colegas ao sair da escola questionam-se como apresentar o trabalho de Físico-química.
– Que achas que a professora queria dizer com “usem a vossa criatividade!” Tenho a cabeça a andar à roda com tantas ideias, e tu? Por onde havemos de começar? Se em vez de apresentar um power point, fizéssemos uma maqueta de cartão do planeta Mercúrio? Quando chegarmos a casa, procura mais informação sobre Mercúrio que eu vou fazer o mesmo.
Estes dois alunos estão habituados a utilizar o pensamento crítico para encontrar uma intenção na procura de uma solução para resolver os desafios que lhes são propostos. O pensamento crítico é utilizado quando analisamos, refletimos e avaliamos a informação e o raciocínio que tomamos como verdadeiro sem questioná-lo. Envolve a produção de ideias e pensamentos originais, a intuição, criatividade para análise dos processos de pensamento responsáveis pela compreensão e interpretação da realidade circundante.
Encontram-se para falar no Skype.
– Já tens alguma ideia para a
maqueta?
– Não sei… fazemos uma bola de papel e pintamos, que mais queres fazer?
– Não me chega… acho, que gostaria que eles fossem apanhados de surpresa…
– Estás sempre a complicar!
– Sim, está bem, mas não achas que seria fixe fazer uma coisa diferente?
Nesta situação, uma das crianças procura “ir mais longe” e transformar a informação em algo de novo e que se constitua como um verdadeiro desafio e que seja um pretexto para combinar todos os seus conhecimentos. É importante aprender a codificar e descodificar através da ação e da interação. Esta construção de significados gera a capacidade reflexiva e transformadora, característica de quem pensa em termos críticos e criativos, e leva-nos a compreender o que é verdadeiro e a separar o que é realmente importante no mar de informação com que somos constantemente bombardeados.

Outras notícias em Opinião

  • O Vaticano e as divindades pagãs

    A ideia de construir um museu nasceu há mais de cinco séculos na cabeça de alguns Papas. A palavra «museu» não existia e, menos ainda,…

  • Princípio da solidariedade

    O princípio da solidariedade é o último dos seis consagrados no Compêndio da Doutrina Social da Igreja (CDSI): ele sintetiza de algum modo os restantes,…

  • O Inferno, o Céu e a oração do rico

    O mês de novembro é dedicado aos mistérios do encontro ou desencontro com Deus. Pode ser um encontro feliz, inesgotável e exultante, ou pode ser…

  • Princípio da participação

    Cada um de nós faz parte de uma família; e, em maior ou menor grau, faz parte de uma ou mais associações, outras instituições, empresas,…

  • O valor do Património Cultural

    “Se destruís o passado, destruís a alma. Ficais sem raízes para corrigir o futuro. Os homens foram notáveis pelo que fizeram de notável”. Palavras colocadas…

  • Princípio da subsidiariedade

    O princípio da subsidiariedade baseia-se na dignidade e autonomia de cada pessoa e família, defendendo que as diferentes organizações privadas, com ou sem fins lucrativos,…

  • Destino Universal dos Bens 2166

    Este é o terceiro princípio fundamental da doutrina social da Igreja (DSI), depois da igual dignidade humana e do bem comum abordados em artigos anteriores…

  • A festa da alegria

    Nestas últimas semanas, a Igreja lançou, em todo o mundo, um projecto renovado de evangelização. Este mês de outubro foi declarado um Mês Missionário Extraordinário,…

  • Rasoamanarivo

    A 7 de setembro, durante a viagem a Moçambique, Madagáscar e República da Maurícia, o Papa fez questão de visitar o túmulo de Victoire Rasoamanarivo,…

  • Francisco e Bento XVI publicam um livro em parceria

    Os autores são Papa Francisco e Bento XVI, o título é “Não façam mal a nenhum destes pequeninos. A voz de Pedro contra a pedofilia”.…