Opinião

Banner_AcacioCatarino

Lacunas graves

Pode afirmar-se que em geral as entidades, públicas e privadas, com responsabilidades no domínio social, estão a falhar nalguns aspetos fundamentais, apesar do enorme esforço que vêm desenvolvendo. Enumero apenas três lacunas graves; tanto mais graves quanto é extremamante fácil, e não dispendioso, preenchê-las. Uma lacuna respeita aos grupos de ação social nas freguesias ou paróquias; a outra, à articulação entre os grupos e as instituições particulares e os organismos oficiais de ação social; e, a terceira, ao tratamento estatístico e político dos casos sociais de carência.
Os grupos de voluntariado da ação social, se existissem em todas as freguesias ou paróquias, garantiriam a proximidade das situações de carência, bem como as primeiras ajudas e a mediação junto de outras entidades; faltando estes grupos, muitas daquelas situações ficam votadas ao abandono. A articulação, entre os grupos e as instituições particulares e os organismos oficiais de ação social, garantiria o acesso direto aos serviços profissionalizados, sempre que necessário; faltando esta articulação, recusam-se as respostas mais adequadas às situações de carência. O tratamento estatístico e político dos casos sociais de carência acompanhados garantiria o seu conhecimento geral e a preparação das medidas de políticas necessárias e possíveis, em cada momento; sem esse tratamento, a ação política demite-se de uma das suas maiores responsabilidades.
Pode afirmar-se, com alguma segurança, que estas lacunas, e outras, se observam em todos os concelhos do país. Não estará disponível o concelho de Alcobaça para ser uma exceção, pela positiva? – Para tanto, bastará que se congreguem os esforços das autarquias locais, da segurança social, das instituições particulares e dos grupos de voluntários de ação social, bem como de outras entidades interessadas.

Outras notícias em Opinião

  • A força de um discurso

    Notável peça de oratória. O discurso do Cardeal D. Tolentino Mendonça, no dia 10 deste mês, tem de tudo: história, filosofia, poesia, teologia… Já tive…

  • Extraordinários. Basílio Martins

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. “O meu general”. Assim lhe chamava o…

  • Recomeço das missas em comunidade presencial

    Depois de todo este tempo em confinamento, durante o qual estivemos privados do acesso direto à Sagrada Eucaristia, todos celebrámos, com muita expectativa, a possibilidade…

  • Consultório de Psicologia

    Tenho filhos em idade escolar que precisam de apoio ao estudo. Como posso apoiá-los de uma forma eficaz? Caro leitor, cara leitora, As crianças são…

  • Os Choctaw e a Covid

    A tribo dos índios Choctaw é a terceira maior tribo de índios norte-americanos, logo depois das tribos Cherokee e Navajo. Entre os anos 1830 e…

  • Joana do Mar

    Isolamento… Quarentena… Distância… Palavras estas mencionadas tantas vezes recentemente, mas que na realidade fazem parte da vida de emigrantes. O meu nome é Joana do…

  • Tempos conturbados e a política do momento

    Caro/a Munícipe, Não estamos a viver num período de normalidade politica e a potencialidade libertadora da internet e da democracia soam um pouco a ingenuidade,…

  • Extraordinários. Joaquim Augusto de Carvalho

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Quando podem chegar a Portugal, se aprovado…

  • Afinal o que é a “dieta”?

    Diariamente as pessoas colocam a palavra dieta no seu discurso. Dieta para aqui, dieta para ali! Dieta disto, dieta daquilo! Certamente já ouviu a expressão:…

  • O futuro das coletividades durante e pós pandemia

    É nesta altura que todos temos que refletir sobre o estado e o futuro das nossas coletividades que sempre desempenharam um papel importantíssimo nas freguesias…