Lagarta do pinheiro

Ana Catarina Duarte
Enfermeira veterinária

Entre janeiro e maio registam-se muitas ocorrências relacionadas com a lagarta do pinheiro ou processionária, sobretudo em cães.

Como são naturalmente curiosos, os animais tendem a ir cheirar e lamber esta lagarta.


A processionária possui pelos urticantes que injetam substâncias tóxicas na pele e mucosas de pessoas e animais provocando reações de hipersensibilidade, que podem causar necrose ou até mesmo a morte.

Caso o seu animal contacte com este inseto, poderá apresentar língua e focinho inchado que podem ficar azulados e com áreas de necrose, salivação excessiva, conjuntivite, dificuldade em deglutir, comichão intenso (normalmente na face), vómito, apatia, falta de apetite ou dificuldade na preensão dos alimentos.

Nesta época, os passeios devem ser feitos sempre com o cão à trela, evitando zonas de pinhal. Caso encontre algum ninho destas lagartas em pinheiros perto de sua casa tenha cuidados redobrados para evitar o contacto do seu animal com esta lagarta.

Se o seu animal contactar com uma lagarta do pinheiro tente, na medida do possível, remover o máximo de pelos urticantes com água e se necessário dê um banho ao animal, usando luvas e máscara para se proteger. Evite que ele se lamba e dirija-se de imediato ao médico veterinário assistente, a vida do seu animal pode estar em perigo!

Ana Catarina Duarte
Enfermeira veterinária

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found