Economia

Nazaré. Abriu a época de «caça» às ondas gigantes

NEGOCIOS 2471_2

Desde o dia 1 de novembro que decorre o “Tow Surfing Challenge”, com a Nazaré a ser, até 31 de março de 2020, o centro do mundo das ondas gigantes. Um evento que, nas palavras de Bill Sharp, general manager da Liga Mundial de Surf (WSL), “será dez vezes melhor e dez vezes maior”. Na apresentação da nova competição, o responsável prometeu “um espetáculo que o mundo inteiro vai apreciar”. Com novo nome e novas regras, o principal destaque vai para os atletas convidados passarem a utilizar jet skis, para apanharem as ondas grandes da Praia do Norte. Desta forma, será uma equipa de duas pessoas a figurar como destaque nos vencedores deste novo formato de campeonato, sendo que ambos devem surfar e pilotar o jet ski. É assim que, durante cinco meses, dez equipas de surfistas internacionais vão estar na Praia do Norte, a «caçar» as melhores ondas.
O diretor da WSL para a Europa, Francisco Spínola, acredita também no sucesso desta nova competição, “que resulta da evolução natural do trabalho feito nos últimos anos, sendo este o ano zero”. Uma evolução em que todos são unânimes: “um evento que vai crescer massivamente”.
Os olhos e as objetivas dos fotógrafos e curiosos vão estar também focados nos portugueses em competição: Nic von Rupp, António Silva, Alex Botelho e Hugo Vau, sendo que Botelho e Vau representam as cores portuguesas.
Entretanto, a 5 de novembro, aconteceu já o primeiro swell gigante da temporada, com alguns surfistas a desafiarem, uma vez mais, as maiores e mais perigosas ondas do mundo. Está definitivamente aberta a «caça» às ondas gigantes na Nazaré.

Outras notícias em Economia