O Sistema Nacional de Saúde está órfão

Alcina Gonçalves
Empresária - Turismo e Animação

O SNS nunca teve mãe! Tinha um pai que faleceu em Maio de 2018, o Professor emérito de Direito de Coimbra, o famoso António Arnaut. Com a morte do pai, o SNS ficou completamente órfão.

O SNS é composto por pessoas, e como nas mais variadas profissões, há os bons e os maus. O drama é quando os bons desistem por causa dos maus. Todos nós já fomos bem e mal tratados no SNS. Não é sobre isso que quero falar.
Quero falar sobre outro assunto: Fechámos o País em Março de 2020 para preparar o SNS. Voltámos a fechar parte do País em Janeiro de 2021, durante mais de 3 meses porque o SNS podia colapsar. Tínhamos mais uma vez de “salvar” o SNS. Quem se lembra? Eu lembro-me! Como se fossemos nós, simples mortais (embora nos esqueçamos disso), a ter a obrigação de salvar o SNS e não o contrário.

Penso que se lembram dos aviões da TAP a aterrar na Portela carregados de luvas, ventiladores e máscaras. Um desses aviões foi recebido pelo Medina que já desapareceu e pela então Sec Estado da Saúde, Jamila Madeira, que também desapareceu. O cómico é que algum do material que vinha no avião também desapareceu ou foi roubado. Também me lembro que roubaram vacinas! Quem as roubou ainda não sabia que afinal não trazem a liberdade tão propagandeada pelo Primeiro Ministro.

Aproxima-se o Inverno e o SNS não está preparado, achatar a curva não resolveu nada. As doenças não tratadas em quase dois anos começam a aparecer e foram muitas. Todos se queixam, demissões em bloco, falta de meios, falta tudo. Já diz o provérbio “Casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão “.

Não esqueçam a quantidade de vezes que se repetiu esta frase “primeiro a saúde, depois a economia“. O drama é que se destruiu a pouca economia que tínhamos e não tratámos da saúde. A única economia que está pujante é a dos testes e vacinas.

Espero estar errada: hospitais sem meios humanos e materiais e jornalistas ávidos de más notícias, à porta dos hospitais a relatar a 5ª vaga de covid. Vai ser trágico e triste, mais medo, mais mentiras. Quando deviam sim relatar a forma como vivem os nossos idosos, muitos numa solidão atroz, sem meios para adquirir medicamentos, sem dinheiro para aquecimento. A vacina da gripe e da covid até pode adiar-lhes a morte, mas nunca os vai salvar da pobreza e da miséria. Infelizmente.

Alcina Gonçalves
Empresária - Turismo e Animação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found