Os negacionistas e o lar de Reguengos

Alcina Gonçalves
Empresária - Turismo e Animação

No dia 10 de agosto de 2021, a Diretora-Geral de Saúde, disse “Maioria dos óbitos são pessoas idosas e muito doentes; já estão vacinadas”.
Durante 17 meses (março 2020 a julho 2021) os média fizeram uma contagem diária de mortos e infetados, com jornalistas a dizer “hoje lamentamos mais 10, mais 50, mais 100 mortes por covid”. E quem lamenta as mortes por todas as doenças não tratadas? Nunca os média fizeram quadros comparativos com os anos anteriores em termos de mortalidade. Nunca a DGS disse “são pessoas idosas e muito doentes”. Antes de 10 de agosto de 2021, as pessoas que faleceram de covid eram maioritariamente idosas, mais algumas jovens e saudáveis e até crianças, assim nos faziam crer todos os dias de contagem diária. A verdade demora, mas chega sempre: “Reguengos de Monsaraz – Relatora do Inquérito diz que maioria morreu de desidratação”. A isto chama-se crime e abandono. Não se chama covid.
Afinal quem são os negacionistas? Os que não concordaram com o fecho duma praia? Os que não concordaram com medidas anticonstitucionais? Os que não concordam com máscara na rua? Os que questionam? Ou é a DGS e o Governo que nos negaram informação durante 17 meses? Quem morreu de covid? Que idade tinha? Que doenças tinha? Onde morreram? Em que condições? Foram feitas autópsias?
Ou os negacionistas são os média que só ouvem uma parte da ciência? Que só ouvem os médicos e investigadores vendidos à indústria farmacêutica e à publicidade. A ciência não é dogmática. Todos aqueles com opiniões moderadas ou diferentes foram banidos do espaço público. Há censura. Era necessário assustar: “tenham muito MEDO!”. Entende-se de certo modo este alinhamento com a verdade oficial, afinal de contas também os média receberam a sua bazuca de 15 milhões.
Foram 17 meses a ouvir sempre os mesmos catastrofistas, o medo, a morte, a infeção, a desgraça, faz mal a todos, até aos mais fortes, privados da vida, dos afetos, do riso, do sustento, cá estamos num dos países mais pobres da UE. Honra seja feita a três pessoas que continuaram sempre fiéis aos seus princípios e opiniões: Júdice na SIC, Raquel Varela na RTP3, Joana Amaral Dias na TVI. Pela minha parte, estou grata a estas três pessoas.

Alcina Gonçalves
Empresária - Turismo e Animação

4 respostas

  1. Não ocorrem as palavras certas para classificar tudo isto !!!
    Uma coisa é certa a mim a mentira diária dos canais de televisão (incluíndo jornais ) deste país nunca me convenceram!
    Não vou votar , simplesmente, porque não voto nos carrascos que estão à frente deste país !
    Muito obrigada por desmacascarar esta vergonha !
    Muitas outras existiram ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found