Opinião

Banner_AfonsoLuis

Política e eleições

Dizia o General De Gaulle que “a política, como a vida, é um combate ao serviço dos outros”. Mas a política, como tudo na vida, tem princípios, tem pensadores esgrimindo argumentos e defendendo opções diversas. Na História do Pensamento Político e Económico os dois, três últimos séculos foram imensamente fecundos. Desde Aristóteles, e com poucas exceções de permeio, o pensamento político não avançou por aí além. Nos séculos recentes, e sobretudo depois do enorme contributo de Karl Marx, apareceram escolas para todos os gostos.
Exemplos: o grande economista inglês Keynes (1883-1946) foi acusado pelos marxistas de salvar o capitalismo, quando na verdade o que ele conseguiu foi transformar o capitalismo liberal (como o que parece termos hoje em Portugal) em capitalismo social. Além disso, derrubou dois dogmas da direita conservadora e liberal, o princípio do equilíbrio orçamental e o princípio da não intervenção do Estado na economia. Jacques Maritain (1882-1973) foi o grande renovador da doutrina social da Igreja, tendo dado um enorme contributo para o modelo social europeu, que só pôde construir-se pelas alianças do Socialismo Democrático e da Democracia Cristã. Houve também, no meio de todos estes grandes ideólogos, um cidadão austríaco, Hayek (1899-1992) que fez a defesa do neoliberalismo e criticou a ideia de Justiça Social. (Tudo leva a crer que Hayek é seguido hoje em Portugal.)
E os nossos políticos? Seguem quem? Que princípios? Que doutrina? Que escola?
Em altura de eleições, como a que acabamos de viver, é oportuno refletir sobre estas questões. Tratou-se de eleições autárquicas, é certo, por isso os candidatos deveriam ser julgados mais pelo que pareciam dispostos a servir as populações e menos pelo que pareciam inclinados a servir-se, a si e aos amigos. Logo, as ideologias esbatem-se. Para terminar com uma nota de humor, sempre me lembrarei de um político que há uns anos atrás me dizia: “Justiça para todos e favores para os amigos.”

Outras notícias em Opinião

  • A força de um discurso

    Notável peça de oratória. O discurso do Cardeal D. Tolentino Mendonça, no dia 10 deste mês, tem de tudo: história, filosofia, poesia, teologia… Já tive…

  • Extraordinários. Basílio Martins

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. “O meu general”. Assim lhe chamava o…

  • Recomeço das missas em comunidade presencial

    Depois de todo este tempo em confinamento, durante o qual estivemos privados do acesso direto à Sagrada Eucaristia, todos celebrámos, com muita expectativa, a possibilidade…

  • Consultório de Psicologia

    Tenho filhos em idade escolar que precisam de apoio ao estudo. Como posso apoiá-los de uma forma eficaz? Caro leitor, cara leitora, As crianças são…

  • Os Choctaw e a Covid

    A tribo dos índios Choctaw é a terceira maior tribo de índios norte-americanos, logo depois das tribos Cherokee e Navajo. Entre os anos 1830 e…

  • Joana do Mar

    Isolamento… Quarentena… Distância… Palavras estas mencionadas tantas vezes recentemente, mas que na realidade fazem parte da vida de emigrantes. O meu nome é Joana do…

  • Tempos conturbados e a política do momento

    Caro/a Munícipe, Não estamos a viver num período de normalidade politica e a potencialidade libertadora da internet e da democracia soam um pouco a ingenuidade,…

  • Extraordinários. Joaquim Augusto de Carvalho

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Quando podem chegar a Portugal, se aprovado…

  • Afinal o que é a “dieta”?

    Diariamente as pessoas colocam a palavra dieta no seu discurso. Dieta para aqui, dieta para ali! Dieta disto, dieta daquilo! Certamente já ouviu a expressão:…

  • O futuro das coletividades durante e pós pandemia

    É nesta altura que todos temos que refletir sobre o estado e o futuro das nossas coletividades que sempre desempenharam um papel importantíssimo nas freguesias…