Opinião

Banner_CarlosBonifacio

Posição sobre o plano e orçamento para 2017

Tenho-me batido por projectos estruturantes para o desenvolvimento do concelho de Alcobaça designadamente:
Que a loja do cidadão seja instalada fora do mercado municipal. Que tivesse outra localização. A proposta visa libertar o edifício do Mercado Municipal para manter a sua função original de apoio à atividade agrícola e respectivo comércio, e como “porta de entrada” ao turismo o que implica uma remodelação deste espaço. Esta intervenção vem ultimamente perdendo força.
Defendo uma intervenção de requalificação da mancha florestal da Fervença, criando uma zona de lazer que possibilite outras utilizações do rio: como a canoagem, a reabilitação da mini-hídrica; a construção de circuitos pedestres e de manutenção de todo aquele espaço e de reabilitação da estrada de acesso à cidade, garantindo uma maior segurança aos automobilistas, mas que no plano e orçamento para 2017, continua a ser ignorada, depois da aprovação em reunião de câmara para ser incluída na Área de Reabilitação Urbana de Alcobaça, a fim de beneficiar de fundos europeus.
A aposta no turismo parece depender apenas da concretização de um hotel no Mosteiro de Alcobaça como se isso fosse a “tábua de salvação”, quando há tanto por fazer para atrair novos públicos. A promoção de um site de promoção turística em várias línguas, coordenada pela câmara, em conjunto com agentes turísticos do concelho, com medidas inovadoras como o passe de fim-de-semana e roteiros turísticos via apps mobile. Nos documentos apresentados, não há uma ideia sobre o assunto.
O desenvolvimento económico (como se pode verificar nos documentos), área central para a fixação e atracção de população nomeadamente jovem na qual se tem assistido a uma sangria preocupante nos últimos anos, não faz parte das preocupações desta câmara, que devia passar por um plano de captação de investimento para o concelho (isenções em impostos municipais e taxas, redução nos prazos de licenciamento, preços de “especiais” para os loteamentos industriais).
Este continua a ser um concelho adiado sem soluções. Assim tive que votar contra!

Outras notícias em Opinião