Opinião

Banner_AcacioCatarino

«Refugiados»… À procura de refúgio

Largos milhares de candidatos a refugiados e a imigrantes (vulgo «refugiados») vêm procurando, na Europa, as condições de paz e de subsistência condigna que faltam nos seus países de origem; muitos outros – a imensa maioria – não dispõe de condições para fazer o mesmo. Por isso, a ajuda a prestar-lhes deve abranger não só o acolhimento na Europa mas também uma forte ação humanitária e de pacificação nos países de origem; esta ajuda vem sendo prestada, mas de maneira insuficente.
O ambiente sociopolítico, em vários países europeus, não é o mais favorável ao acolhimento de «refugiados»; para isso contribuem a crise económico-social que persiste, as situações graves de pobreza e exclusão, as divisões político-partidárias, a propensão xenófoba, o receio da islamização… Acresce que, para cúmulo, os «refugiados» vêm sendo aproveitados como pretexto para contestações internas contra governos, União Europeia e outras entidades.
Apesar de tantas limitações, poderá afirmar-se que existe, em Portugal, uma forte disponibilidade solidária para o acolhimento dos «refugiados». Disponibilidade que talvez se tornasse mais consistente se se verificassem três condições de base: 1ª. Uma partilha equitativa de responsabilidades, entre os países europeus; 2ª. A corresponsabilidade efetiva de três patamares de ação, em Portugal: (a) As comunidades paroquiais e de outra natureza, bem como as diferentes instituições e empresas da sociedade civil; (b) As autarquias locais; (c) O Estado central; 3ª. Uma articulação, muito forte e coesa, entre o apoio aos «refugiados» e à erradicação da pobreza no nosso país. Esta última condição implica uma profunda melhoria das nossas práticas e políticas de desenvolvimento local e nacional; no limite – otimista – seria possível transformar a integração de «refugiados» numa nova oportunidade para o nosso próprio desenvolvimento.

Outras notícias em Opinião

  • Jesus a espreguiçar-Se

    Quando o Papa fez 83 anos (17 de dezembro passado), ofereceram-lhe uma estampa que sintetiza o seu programa pastoral: a santidade “della porta accanto”, a…

  • Valores Sociais

    A doutrina social da Igreja (DSI) tem como orientações básicas seis princípios e quatro valores: os princípios, abordados nos artigos anteriores, são a dignidade humana,…

  • Seitas e Movimentos Religiosos

    Que as seitas são altamente prejudiciais à sociedade, todos reconhecem. Muitas pessoas, sobretudo entre os jovens, têm sido captadas por redes sectárias. Pensam, ingenuamente, que…

  • Um conto de Natal | As dúvidas de Renato

    Renato frequentava um curso superior, na cidade. Os pais viviam na aldeia. Eram crentes. Renato nem por isso. As aulas na Faculdade e a vida…

  • Princípios sociais, numa visão de conjunto

    Nos últimos artigos, foram apresentados os seis princípios da doutrina social da Igreja consagrados no respetivo Compêndio de 2004: dignidade humana; bem comum; destino universal…

  • A carta de Greccio

    S. Francisco de Assis foi pela primeira vez a Greccio por volta de 1209, numa altura em que a pequena cidade sofria o ataque de…

  • O Vaticano e as divindades pagãs

    A ideia de construir um museu nasceu há mais de cinco séculos na cabeça de alguns Papas. A palavra «museu» não existia e, menos ainda,…

  • Princípio da solidariedade

    O princípio da solidariedade é o último dos seis consagrados no Compêndio da Doutrina Social da Igreja (CDSI): ele sintetiza de algum modo os restantes,…

  • O Inferno, o Céu e a oração do rico

    O mês de novembro é dedicado aos mistérios do encontro ou desencontro com Deus. Pode ser um encontro feliz, inesgotável e exultante, ou pode ser…

  • Princípio da participação

    Cada um de nós faz parte de uma família; e, em maior ou menor grau, faz parte de uma ou mais associações, outras instituições, empresas,…