Memória

Turquel. Ainda José Diogo Ribeiro

Memórias de Turquel

Depois de se aposentar da atividade de docência, o ilustre pedagogo turquelense editou, pela Tipografia Universal do Porto (Livraria Figueirinhas), a monografia histórico-geográfica Memórias de Turquel (1908). Por ocasião do lançamento da obra, a imprensa regional teceu largos elogios ao autor. No Noticias de Alcobaça é descrito como “um estudioso, investigador de fino critério e grande entusiasta pelas belezas naturais da sua terra, cuja modéstia mais realça os seus dotes de talento, que há muito se vêm evidenciando”. Numa clara exaltação das suas virtudes de escritor, Cândido Figueiredo reserva-lhe um lugar entre as mais estimadas e valiosas monografias histórico-topográficas que opulentam a bibliografia nacional. O seu gosto literário de conhecimento profundo do nosso lindo português, reitera A. Correia de Menezes, resultou num trabalho de investigação paciente, crítica ilustrada e sensata, lição variada e bem assimilada em muitos ramos.
Por seu lado, o Semana Alcobacense salienta as “belas faculdades intelectuais e as laboriosas lucubrações do seu espírito”. No anuário Novo Almanaque das Lembranças Luso-Brasileiro, de 1910, pode ler-se o seguinte: “Mas o Sr. José Diogo Ribeiro, que é um investigador erudito e apaixonado, não limitou o seu trabalho a uma monografia histórica; fez mais: estudou a povoação de Turquel desde as suas remotas origens pré-históricas, começando na idade da pedra […]. O Sr. José Diogo Ribeiro descreve-nos também Turquel sob o seu aspeto etnográfico, agrícola, industrial, pitoresco, lendário, etc. É, enfim, um trabalho de real valor, que merece ser lido e apreciado”.
A obra viria a ser atualizada e ampliada por José Diogo Ribeiro no Aditamento às Memórias de Turquel (1930) e no Segundo Aditamento às Memórias de Turquel (1941).

André Camponês
Antropólogo, ADEPART
Bibliografia
Semana Alcobacense, 6 de setembro de 1908, nº 942, p.2, ano XVIII.
Notícias de Alcobaça, 23 de agosto de 1908, nº440, p.2, ano X.
Adriano Xavier Cordeiro (dir.), Novo Almanach de Lembranças Luso-Brazileiro para o anno de 1910, (p. 49 e 50).

Outras notícias em Memória