Opinião

Banner_manuelcapelo

Verdade ou mentira

A recente e ainda actual polémica sobre a Caixa Geral de Depósitos, bem mais que colocar na agenda dos dias a questão da honorabilidade da palavras dos homens e das instituições que representam, vem questionar o que é isto da verdade e da mentira.

Num resumo breve, em resultado do crescente relativismo do pensamento, é cada vez mais difundido que a verdade é apenas uma mentira que ainda não foi descoberta, da mesma maneira que a mentira é tão só uma verdade do passado, ultrapassada pelo tempo, e assim sucessivamente.

Desta forma, o que somos, pensamos, fazemos e afirmamos está de tal maneira desprovido de certeza e de absoluto que só pode sustentar-se numa intuição efémera de correcção que admite pacientemente vir a ser desmentida.

Porém, o anedótico de tudo isto é ser precisamente neste tempo de relatividade moral que mais se reclama o respaldo do absoluto da verdade e se protesta contra a vergonha de mentir. E mais, logo num domínio tão paradoxalmente evasivo de moralidade e de coerência como é o da política.

É de escangalhar o sério o espectáculo risível de ver políticos acusar outros políticos de não serem verdadeiros por não terem dito a verdade e, no limite, de a sua falta de verdade dever ser tributada com a demissão, por vergonha de carácter.

Sabemos que a primeira coisa de que a política prescinde é da memória e a primeira virtude de que os políticos se despem é da coerência, talvez por levarem muito a sério a máxima filosófica de finais do sec. XVII que sustentava ser a coerência uma virtude das pequenas inteligências. E daí que a verdade na política, bem como em muitos outros domínios da vida para sermos justos, coincida com o tempo em que se mantém um segredo suportado pelo interesse de não o desvendar.

Bem, o resto é a liberdade de cada um representar o papel que mais lhe convém nesta récita de enganos e desenganos, desde o do indignado ao justiceiro; do ingénuo ao lépido ou do pícaro ao tolo.

A história do teatro forneceu ao longo dos séculos todas estas personagens e discursos respectivos de rara qualidade. Mas o pior é que nem sequer é possível desafiar a que só os que nunca mentiram atirem a primeira pedra, porque, se eles só amanhã saberão que a sua verdade de hoje era mentira, decerto continuarão a atirar hoje todas as pedras com a convicção de o poderem fazer.

Outras notícias em Opinião

  • Voltaram os profissionais da greve

    Quando as televisões interpelam os utentes dos serviços atingidos por greves obtêm, em regra e infelizmente, respostas como esta, que registei há dias: “Sinto-me muito…

  • A “armadilha” da autenticidade

    Escrevo este artigo no dia 1 de Julho de 2019. Inicia hoje mais uma semana, mais um mês e mais um semestre, o 2º semestre…

  • O retrato da aviadora

    O melhor retrato de Guadalupe Ortiz de Landázuri é ao lado de um avião, com uma amiga, em 1932. Um biplano da época, com um…

  • Não faz falta “usted”

    Esta semana, fez escala em Lisboa um amigo que não via há muito tempo e tem a sorte especial de ser argentino (com ascendentes portugueses)…

  • Da igual dignidade humana

    No artigo anterior foram enumerados os princípios da doutrina social da Igreja consagrados no respetivo «Compêndio»: dignidade da pessoa humana; bem comum; destino universal dos…

  • O braço de ferro

    Numa homilia de Abril, o Papa falou de lutar com Deus até O conseguir vencer. Não é pouco atrevimento, desafiar Deus para um braço de…

  • A desgraça a que chegou o IC2

    A situação em que se encontra o IC2, entre a Zona do Alto da Serra no Concelho de Rio Maior e Alcoentre no Concelho da…

  • Da Doutrina Social da Igreja

    Entende-se por doutrina social da Igreja (DSI) o conjunto de orientações, para os domínios socioeconómico, político e ecológico, provenientes do Evangelho e de toda a…

  • Um amigo de Alcobaça

    Quando, em artigo anterior, registei de forma encomiástica o percurso camoniano glosando o tema do amor entre Pedro e Inês, junto ao rio Alcoa, aproveitei…

  • A ideologia de género

    As referências, muito duras, do Papa Francisco à ideologia de género e o recente discurso, igualmente forte, do representante do Vaticano nas Nações Unidas (9…