“Vou recandidatar-me para levar o projeto até ao fim”

Foto por David Sineiro

PERFIL

Nome: Daniel Lourenço Subtil
Data de nascimento: 8 de outubro de 1974
Escolaridade: 9º Ano
Profissão: Empresário da Construção Civil
Quando se candidatou: 2009
Porque se candidatou: “Eu não decidi; não foi uma iniciativa minha, mas convidaram-me e depois de refletir e conhecer o projeto, achei que podia fazer o meu melhor pela freguesia e concretizar as minhas ideias.”

ORA DIGA LÁ…

Um país: Estados Unidos da América
Um livro: O Código Da Vinci, de Dan Brown
Uma música: Desfado, de Ana Moura
Um filme: O Gladiador, de Ridley Scott
Um político: Francisco Sá Carneiro

Vimeiro

População: 1948
Primeiro presidente de junta: José Alexandre Almeida e Silva
Última obra inaugurada: Centro de Saúde (inauguração prevista para agosto)

A função de autarca é gratificante? Que balanço faz do seu mandato?
Gratificante é; tem os seus pontos altos e tem os seus dias baixos também. Aqui não há felicidade para ninguém; tudo é difícil, mas é bom passar por aqui. Quanto ao balanço, podia ser melhor. Felizmente conseguimos concretizar o nosso grande projeto: o novo centro de saúde, que ainda vamos inaugurar em agosto.

Quais são os principais problemas que a freguesia enfrenta?
Além da perda de população que estes últimos censos revelaram ser de cerca de 15 por cento, temos um grande problema que atrofia o Vimeiro e não o deixa desenvolver: o PDM. Foi a parte mais negativa deste mandato, pois sempre pensei que conseguiríamos fazer a revisão. Fizemos várias reuniões com a Câmara e várias propostas, mas ainda não se chegou a uma conclusão final. Isto é mau porque só é possível construir fora das zonas urbanas em terrenos superiores a quatro hectares e existem muito poucos terrenos com essa dimensão. Pedia-se que fosse para a frente a proposta dos aglomerados rurais, como foi proposto na revisão do PDM, permitindo que se preenchesse os terrenos vazios entre as casas que já existem. Não é uma expansão; é completar o que já existe.

A freguesia tem conseguido assegurar postos de trabalho? Quais são os principais empregadores?
O principal empregador é a Santa Casa da Misericórdia. No entanto, temos muitos trabalhadores ligados ao setor agrícola e tudo o que tenha a ver com o ramo. E temos muita gente que vive cá mas trabalha fora. Os níveis de desemprego no Vimeiro são os mais baixos do concelho.

Quais são as obras feitas ou por fazer que considera mais relevantes para a freguesia?
A obra mais relevante é o novo centro de saúde, que era uma necessidade não apenas pelo serviço em si, mas também pelo que pode trazer de novo para o Vimeiro. Além de melhorar o apoio à população, espero que este centro traga mais profissionais de saúde e movimento para o centro da freguesia. Espera-se que o novo centro de saúde venha dar uma nova vida a isto, porque se o centro de saúde tiver mais profissionais, pode abranger mais pessoas que atualmente não têm médico cá e com mais pessoas, vamos atrair outros serviços. Temos ainda necessidade de alargamento do cemitério, obra que está, neste momento, também a ser feita. Depois o que mais faz falta é o alcatroamento das estradas que, já há quatro anos, era necessário.

Qual é a situação financeira da junta?
Nenhum presidente deixou dívidas na junta e a situação mantém-se. Gastamos o que podemos consoante as transferências que nos chegam e nunca gastamos acima das possibilidades. Temos que gerir o que há.

Se fosse presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, qual seria a área em que atuaria de forma mais urgente para proporcionar um maior desenvolvimento do concelho?
Este é um concelho que não é fácil de governar, dado ser muito grande e ter a norte e a sul duas grandes freguesias de enorme potencial. A prioridade penso que deveria ser criar investimento, nomeadamente através de algo que se falou há algum tempo e nunca avançou, uma zona industrial da Benedita, pois a zona Industrial do Casal da Areia já está completamente cheia. É algo que já vem tarde, mas nunca é tarde demais.

Educação, saúde, associativismo, economia. O que considera ser pilar de crescimento desta freguesia?
O grande pilar tem de ser a economia, porque o Vimeiro é uma freguesia muito agrícola. Esta atividade tem vindo a crescer de maneira diferente e temos aqui empresários agrícolas que têm muito para dar, que sabem o que estão a fazer e podem, através desse setor, fazer com que o Vimeiro cresça.

Concorda com a reorganização administrativa do território?
Foi o que foi possível. Concordo que deve existir uma reorganização administrativa, mas esta foi feita em cima do joelho. Não traz nada de novo e não é por aí que o estado poupa dinheiro. O importante seria mexer nos limites de freguesia, porque temos populações divididas a meio por uma estrada como acontece na Vigia, que faz fronteira com as Caldas. Por causa do cartão do cidadão há habitantes do Vimeiro que são eleitores nas Caldas.

Vai recandidatar-se?
Sim, vou-me recandidatar. Reconheço que quatro anos passam rápido, apanhámos uma crise económica que nos fez recuar em muitos projetos e como não conseguimos fazer tudo o que queríamos, estou cá para tentar levar o projeto até ao fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Candidaturas abertas

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

Alcobaça. Biblioteca convida à conversa com…

10 Abr | Sáb | 11:00

online

Encontros em Rede: Reimaginar os Museus a 26

05 Abr | Seg | 15:00

Página de facebook da Rede Cultura 2027