Date…

Ana Caldeira
Diretora do jornal O ALCOA

“Dai, e ser-vos-á dado” (Lc. 6, 38).

No podcast “10 minutos com Jesus”, falaram há dias de um livro de um jovem espanhol com uma doença degenerativa fatal “Aprender a viver para poder morrer”. Nele escreveu, “o maior desafio que tive foi este: diferenciar o que eram circunstâncias do que eram problemas”, fonte de grande frustração hoje, porque podemos considerar frustrações o que são problemas – que devemos enfrentar e tentar resolver – e, pelo contrário, podemos gastar muito do nosso tempo a discutir circunstâncias, como se fossem problemas sobre as quais não temos influência. Comemorámos há pouco o Dia Mundial dos Pobres. Refletindo, pensei como eu posso quedar-me a discutir questões como a falta de solidariedade com os países mais pobres… como, 3,2 mil milhões depois, a TAP volta a ser privatizada… escândalos de responsáveis políticos no país e no mundo… E esquecer os problemas sobre os quais está ao meu alcance atuar. Como a pobreza ao meu lado. Face à circunstância da instalação de um hotel de luxo no Mosteiro de Alcobaça, posso continuar a rezar pela restauração da vida monástica na região, e posso seguir o exemplo de caridade e despojamento cistercienses. Tão bem expressos na história lembrada pelo historiador Gérard Leroux n’O ALCOA há uns anos: num mosteiro cisterciense em França, o abade não era caridoso. Um Peregrino veio pedir guarida. O irmão porteiro não conseguiu negar-lha e contou ao Peregrino que o mosteiro fora muito rico, mas que agora estava muito pobre. Disse-lhe o Peregrino: “Pois não sabe a causa, Padre? Eu lha direi. Havia neste mosteiro dois irmãos a que chamavam, um, Frei Date, e o outro, Frei Dabitur; botaram fora Frei Date, e Frei Dabitur se foi com ele”. O Porteiro não compreendeu. No dia seguinte, já não encontrou sinais do Peregrino e acabou por contar ao abade, que percebeu a mensagem: date, em latim, quer dizer “dai” e dabitur quer dizer “dar-se-vos-á”. O mosteiro retomou a caridade e voltou a enriquecer. Como escreveu o cartorário-mor do Mosteiro de Alcobaça, convém muito “usarem do irmão Date, para terem também o Dabitur, que quantas mais esmolas fazem, Deus acrescenta tudo, como se tem visto”. Não deixemos de fazer o nosso pouco que Deus acrescenta muito.

Ana Caldeira
Diretora do jornal O ALCOA

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found