Opinião

banner_joao-luis-pereira-mauricio

Missa do Galo na Benedita em 1916

Faz agora cem anos e já cá não está que me contou, em 1970, esta comovente história.
A poeira do tempo apagou alguns detalhes da narrativa, mas esse facto não é motivo para não a trazer a público.
Nessa noite de 24 de dezembro de 1916, um domingo, a secular Igreja Velha da Benedita, estava cheia de novos, velhos e crianças, vestidos com as melhores roupas que tinham. Por maus caminhos, de burro, de carroça, ou a pé, vindos da borda da Serra, do Chamiço, da Ribafria ou dos Freires, todos lá estavam.
No meio de tanta gente, garbosamente vestidos com fardas militares, encontravam-se o soldado José Lopes do Corpo de Artilharia Pesada, o 1º cabo-
-enfermeiro Manuel da Silva e o soldado Silvino Rodrigues Serrazina, do 3º esquadrão do Regimento de Cavalaria nº2, sediado na Calçada da Ajuda, em Lisboa. Tinham vindo de Tancos, das manobras militares, onde conheceram um nabantino famoso, o general José Tamagnini. Faltavam trinta e poucos dias para embarcarem para Brest. Os horrores da guerra, em França, esperavam por eles.
O celebrante era o pároco da Benedita, nomeado nesse ano, o padre Manoel Canastreiro, o chamado Padre Doutor por ter estudado na Universidade Gregoriana de Roma, Direito Canónico, Filosofia e Teologia. Os três beneditenses comoveram-se quando o sacerdote, no final da homilia, pediu ao Menino Jesus que os protegesse.
Antes de saírem da igreja, passaram pelo mal iluminado mas poético e singelo presépio e ficaram a olhar demoradamente as velhas e modestas figuras que pareciam saídas das narrativas de Júlio Dinis.
Na missa do Galo, após o regresso, a 24 de dezembro de 1919, sãos e salvos, desta vez com os seus fatos dos dias de festa, voltaram a recolher-se em silêncio, junto do mesmo presépio. Agradeceram tamanha bênção e o Menino Jesus, doce, terno e puro como que sorria para o Silvino, o José e Manuel.

Outras notícias em Opinião

  • O Inferno, o Céu e a oração do rico

    O mês de novembro é dedicado aos mistérios do encontro ou desencontro com Deus. Pode ser um encontro feliz, inesgotável e exultante, ou pode ser…

  • Princípio da participação

    Cada um de nós faz parte de uma família; e, em maior ou menor grau, faz parte de uma ou mais associações, outras instituições, empresas,…

  • O valor do Património Cultural

    “Se destruís o passado, destruís a alma. Ficais sem raízes para corrigir o futuro. Os homens foram notáveis pelo que fizeram de notável”. Palavras colocadas…

  • Princípio da subsidiariedade

    O princípio da subsidiariedade baseia-se na dignidade e autonomia de cada pessoa e família, defendendo que as diferentes organizações privadas, com ou sem fins lucrativos,…

  • Destino Universal dos Bens 2166

    Este é o terceiro princípio fundamental da doutrina social da Igreja (DSI), depois da igual dignidade humana e do bem comum abordados em artigos anteriores…

  • A festa da alegria

    Nestas últimas semanas, a Igreja lançou, em todo o mundo, um projecto renovado de evangelização. Este mês de outubro foi declarado um Mês Missionário Extraordinário,…

  • Rasoamanarivo

    A 7 de setembro, durante a viagem a Moçambique, Madagáscar e República da Maurícia, o Papa fez questão de visitar o túmulo de Victoire Rasoamanarivo,…

  • Francisco e Bento XVI publicam um livro em parceria

    Os autores são Papa Francisco e Bento XVI, o título é “Não façam mal a nenhum destes pequeninos. A voz de Pedro contra a pedofilia”.…

  • Princípio do «Bem comum»

    A seguir à dignidade humana, o segundo princípio fundamental da doutrina social da Igreja (DSI) respeita ao bem comum, isto é: o conjunto de bens…

  • Perfume de poesia na Igreja Católica

    No próximo dia 5 de outubro, a Igreja passará a contar com mais 13 novos cardeais. Um deles é o português José Tolentino Mendonça, um…