Muito mais que uns pontapés

P. Tiago Roque
Pároco de Alcobaça e Vestiaria

O Advento é sempre um tempo de graça. A luz que decora as nossas ruas e casas é expressão daquilo que nos vem cá de dentro. A esperança num mundo que se quer renovado e mais humano. O amor, manifestado na união das famílias e no serviço redobrado a quem mais precisa. A ternura de um Deus que deseja ser tratado por Pai e que se faz ainda mais próximo de nós quando nos envia o seu Filho. Para juntar a todas estas causas, que nos dão um novo fulgor, temos a curiosidade de vivermos o Mundial de Futebol durante o Advento deste ano. Não há-de ser simplesmente uma coincidência. Nosso Senhor sabe como nos surpreender.

Marcou-me a intervenção do Santo Padre acerca desta competição internacional. Na Audiência Geral da passada quarta-feira, dia 23, Francisco propôs que este evento fosse acima de tudo um encontro e um sinal de comunhão. Entre jogadores, adeptos, telespectadores… Que seja uma possibilidade de combater através da unidade, tolerância e fraternidade o ambiente de guerra e instabilidade em que nos encontramos. Muitas críticas têm surgido quanto ao facto de o Mundial decorrer no Catar. Críticas muito pertinentes sem dúvida alguma. Mas até por ser nas Arábias, poderá permitir um impulso importante para a comunhão entre os povos. Lembro-me de, no tempo de Seminário, o futebol ser uma ferramenta muito querida dos nossos padres formadores. Recordo a afirmação de um deles durante uma conversa connosco sobre como este desporto nos ajuda a criar espírito de equipa. Ou melhor, de irmãos. Para além disto, permite ainda conhecer os temperamentos e formas de ser de cada um. É que em ambiente desportivo os filtros caiem e apercebemo-nos de desafios pessoais a cumprir. Seja a capacidade de liderança que se vai notando em alguns de nós em especial. E liderar em Cristo é dar valor a todos os membros da equipa e ajudá-los a utilizar o que têm de melhor para um bom desempenho de toda ela. Seja, por vezes, a agressividade de alguns, o que se torna bem claro pelas caneladas que se vai dando. Seja o desânimo e as birras de outros, quando o seu mau perder se vê lesado. Seja o espírito de sacrifício e de perseverança, que vai permitindo encontrar novas forças para se superar, em prol de todos.

Creio que todo o desporto pode ser muito mais do que exercício físico para nos mantermos em forma. É espaço de autoconhecimento e crescimento em relações saudáveis com os outros. O futebol pode ser para nós cristãos, neste Advento, uma imagem do que somos convidados a percorrer com vista a um Natal mais pleno. Afinal, não é nada descabido que o Advento deste ano coincida com o Mundial.

P. Tiago Roque
Pároco de Alcobaça e Vestiaria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found