Opinião

Museu da Rádio

Os alcobacenses foram surpreendidos com o anúncio da instalação de um Museu da Rádio no concelho. Não que a posse de tal espólio, por parte da autarquia, fosse desconhecida. O que ninguém esperava era que, tão pouco tempo após a apresentação do plano estratégico do município, o próprio município apresentasse um projeto estratégico para a cidade que não consta no referido plano estratégico. Confuso, não é?
Sem prejuízo da incapacidade do presidente da autarquia em discutir, definir e cumprir uma estratégia de futuro para o concelho com a oposição, centremo-nos na análise do pensamento subjacente à apresentação de mais um projeto para o concelho que implica, à cabeça, um investimento de 280 mil euros.
Alguém acredita que Alcobaça tem escala suficiente para conferir viabilidade económica a mais um espaço museológico de raiz? Será este museu, verdadeiramente, um pólo de atração turística?
Francamente, não me parece que Alcobaça aumente a sua competitividade turística com a criação de mais infraestruturas. A câmara pode continuar a investir fortemente, como fez – infelizmente, com os resultados que se conhecem – com o Jardim do Amor e com o transporte turístico para Cós e como fará com o Parque Verde e com o Museu do Rádio, mas enquanto não implementar as reformas que são urgentes, a montante, para modernizar a relação do concelho com o exterior, vamos continuar atrás daqueles que priorizam a inovação e a criatividade na forma como se relacionam com os turistas. É que museus já há muitos.
Por exemplo, não temos um site exclusivamente dedicado à promoção e divulgação turística de Alcobaça, lá fora, disponível nos idiomas mais falados mundialmente. Não disponibilizamos um serviço online de venda de passes turísticos para a nossa rede de hotéis, restaurantes, museus, monumentos, entre outros, nem facultamos uma oferta integrada (diversos serviços num só) aos nossos turistas. Não temos uma aplicação mobile para smartphones, que contemple roteiros turísticos de âmbito municipal, oferta diária da nossa restauração ou até descrição sonora (em vários idiomas) dos nossos monumentos e lendas. Não temos um Welcome Center na cidade que receba condignamente as centenas de autocarros que chegam, com sanitários decentes e posto de turismo de apoio, já para não falar nos dias de chuva. Não conseguimos sequer ter o Parque de Campismo a funcionar.
E a prioridade é criar mais uma infraestrutura dependente financeiramente da câmara, sem qualquer integração numa estratégia municipal previamente definida, dando continuidade às medidas em cima do joelho e sem coerência entre elas?

Outras notícias em Opinião

  • Lista de compras: uma tarefa para o seu dia

    A população portuguesa, e não só, está a passar por um período extremamente difícil e sensível. A saúde, bem como a saúde, estão em risco.…

  • O que posso fazer para me sentir melhor de quarentena em casa?

    Caro leitor, cara leitora, Durante os últimos dias, tem sido visível a quantidade de notícias que surgem nas televisões e nas redes sociais, sobre o…

  • Testemunho. Uma jovem fala como vive a atual quarentena

    Acho giro como o mundo lá fora anda tão silencioso, as pessoas tão bem-educadas e reservadas. Mas basta um suspiro, um sorriso, um olhar para…

  • Televisão em Alcobaça no início das emissões

    A televisão começou a funcionar regularmente em Portugal em 1957. Mas já há algum tempo se falava do início das emissões, e até se dizia…

  • Nas ruas desertas de Roma

    A imagem tem a força de um filme épico: Francisco caminhando pelas ruas desertas de Roma, para rezar pela cidade e pelo mundo. Saindo a…

  • Papagaios, abutres e gente boa

    As calamidades trazem sempre à tona qualidades e defeitos das gentes que as vivem. Aquela em que nos encontramos já nos “revelou” que há na…

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Os extraordinários desta vez são obviamente os…

  • “Una e santa”

    Pelo menos na Eucaristia de Domingo, no Credo, os católicos confessam que confiam na Igreja una e santa mas, perante a quantidade de protestos que…

  • Vamos açambarcar

    Está aí o Covid-19. Como tantas outras alturas de ameaça de crises, vamos lá a açambarcar. Dei por isto na passada semana quando fui ao…

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Os extraordinários da nossa região são do…