“Preciso de sentir mais abertura das instituições”

Foto por Sara Susano

Filipe De Moura, o tenor natural do Vimeiro, quer escrever e produzir musicais e peças de teatro, aproveitando a sua experiência e estudos em Inglaterra. Mas para isso, precisa “de sentir mais abertura das instituições, sejam elas privadas ou não, e de sentir um pouco mais de apoio”, afirma o músico.
Encontrando-se numa fase de “grande criatividade”, o jovem de 30 anos sempre teve o objetivo de unir a música clássica e o povo: “mais ou menos como Luciano Pavarotti fez”. Isto porque, para Filipe De Moura, “a música clássica não deve ser de elites”.

(Saiba mais na edição em papel de 20 de março de 2014)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Candidaturas abertas

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

Alcobaça. Biblioteca convida à conversa com…

10 Abr | Sáb | 11:00

online

Encontros em Rede: Reimaginar os Museus a 26

05 Abr | Seg | 15:00

Página de facebook da Rede Cultura 2027