Opinião

Banner - OPINIAO Acacio F Catarino_sociologo

Princípio da participação

Cada um de nós faz parte de uma família; e, em maior ou menor grau, faz parte de uma ou mais associações, outras instituições, empresas, escolas, autarquias locais, Estado central… Nisto consiste a realidade da participação, e daqui decorre o respetivo princípio. Segundo a doutrina social da Igreja, este princípio desdobra-se em três linhas fundamentais: 1ª. A participação não pode afetar a identidade pessoal nem a dignidade de cada pessoa; 2ª. Há direitos e deveres de cada um de nós para com outrem, e vice-versa; 3ª. Numa sociedade ideal, todas as pessoas reconhecem a igual dignidade das outras, diligenciando que tudo concorra a favor do bem comum e do bem de cada uma (cfr. o «Compêndio da Doutrina Social da Igreja», 2004, nºs. 189-191).
Cada pessoa é uma totalidade, mas não é uma divindade. Por isso são designadas «totalitárias» as pessoas e estruturas que pretendem dominar tudo e todas as outras, como falsos deuses; cada pessoa, no relacionamento com as outras, é simplesmente uma parte em relação a elas, procurando, com elas, o referido bem comum e o bem de cada uma. A democracia é a organização participativa por excelência, designadamente na medida em que cada pessoa tem um voto e participa nas diferentes decisões coletivas; fala-se de democracia política, mas também se pode falar da cultural, da social, da económica, e até da ecológica tendo em conta o relacionamento equitativo de todos nós com os bens da terra. Aliás, o princípio, já aqui descrito, do destino universal dos bens respeita a isto mesmo.
Justifica-se falar de participação na família, na associação, na instituição, na empresa, na escola… e não só na autarquia local, estado regional ou estado central; trata-se de modalidades diferentes de democracia, mas que encerram o essencial desta, isto é, a participação em pé de igualdade, respeitando as diferenças e particularidades.

Outras notícias em Opinião

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Os extraordinários desta vez são obviamente os…

  • “Una e santa”

    Pelo menos na Eucaristia de Domingo, no Credo, os católicos confessam que confiam na Igreja una e santa mas, perante a quantidade de protestos que…

  • Vamos açambarcar

    Está aí o Covid-19. Como tantas outras alturas de ameaça de crises, vamos lá a açambarcar. Dei por isto na passada semana quando fui ao…

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Os extraordinários da nossa região são do…

  • É preciso romper com a estagnação!

    Soaram as campainhas de alerta em relação à demografia no concelho de Alcobaça, dados do Instituto Nacional de Estatísticas mostram uma quebra preocupante de mais…

  • A Carta aos Romanos

    Há cerca de 2 mil anos, S. Paulo escreveu uma carta aos romanos, que continua a ser um dos textos da Bíblia mais estudados, pela…

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, uma pessoa extraordinária em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Há mais de duas décadas, trabalhava…

  • Michael Nnadi: 18 anos

    Nos anos 90, conheci dois padres do Ruanda. Um não tinha notícias da família há muito tempo, outro acabava de saber que todas as pessoas…

  • Aquilo que é

    Aquilo que é a língua portuguesa deixa-nos às vezes confundidos com aquilo que é a forma de falar de uns tantos. Modas… Começa nos meios…

  • Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, uma pessoa extraordinária em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Em vésperas do Dia dos Namorados,…