Cultura

S.O.S. Património “Memórias de Várias Vilas e Terras dos Coutos de Alcobaça”

Capela-Sto-Antão_COR

Na obra “Memórias de Várias Vilas e Terras dos Coutos de Alcobaça”, recentemente editada pel’O ALCOA, o cronista-mor dos Cistercienses de Portugal, Frei Manuel de Figueiredo, prosseguiu viagem para o Vimeiro, passando por Santa Catarina.
Descendo para o Carvalhal Benfeito, encontrava-se uma capela dedicada a Santo Antão, da qual só restam algumas pedras de grés rosado, dispersas no chão, por entre pinheiros mansos e sobreiros, como consta na obra agora editada, nas notas do historiador Gérard Leroux, que repetiu ele próprio os passos de Frei Manuel de Figueiredo.
Seguindo caminho, encontra-se parte da casa da Quinta dos Coutinhos, pertencente a Gastão José da Câmara Coutinho, “enfiteuta do Real Mosteiro de Alcobaça e que foi várias vezes provedor da Misericórdia de Alcobaça e herói das primeiras campanhas da Restauração”, escreve nas suas notas Gérard Leroux. Desta propriedade, resta apenas a bem obrada pedra de armas, mas cujo escudo foi, entretanto, picado, e que se conserva agora sob o alpendre da Igreja de Carvalhal Benfeito. Em frente a esta igreja, encontrava-se uma capela, que à passagem do historiador Gérard Leroux, já não existia.

Santa Catarina WEB

Saiba mais na edição impressa e digital de 21 de janeiro de 2021.

Outras notícias em Cultura