“Tenho gostado desta experiência”

PERFIL

Nome: Leonel Jorge da Silva Ribeiro
Data de nascimento: 9 de Abril de 1967
Naturalidade: Alfeizerão
Atividade profissional: Empresário Agrícola
Não é presidente de junta de freguesia a tempo inteiro

No ciclo de entrevistas iniciado pel’O ALCOA a todos os presidentes de Junta de freguesia, Leonel Ribeiro faz o balanço do seu trabalho em Alfeizerão, do que foi feito e do que está por fazer.

 

Qual o setor económico mais importante na freguesia de Alfeizerão?
Uma grande fatia da população vive ligada à agricultura e temos também uma parte ligada à pastelaria, que está em expansão. Tivemos alguma indústria que desapareceu. Foi o caso do matadouro Silva e Gajeiro no Casal da Mata, mas em contrapartida o Atelier do Doce instalou-se lá e conseguiu absorver algumas dessas pessoas que tinham ficado desempregadas pela insolvência do matadouro. Neste setor e a crescer está também a Tia Almerinda e Filhos, com fabrico de pastéis e rissóis, que pretendem ampliar o negócio.

Quais os principais problemas que encontrou na freguesia quando chegou à junta? E o que fez para os resolver?
Não sei se foi por estar ligado à agricultura, senti que realmente os caminhos rurais estavam um pouco descurados, por falta de verba e tudo mais. Então tentámos investir nessa parte. Graças à criação da Associação de Freguesias, que nos tem permitido em conjunto com a freguesia da Cela e do Vimeiro, gerir e partilhar o equipamento disponível para trabalhar, tem corrido muito bem. Ainda nesse espírito de entreajuda e também em consonância com o comandante dos Bombeiros Voluntários de São Martinho do Porto, que é de Alfeizerão, foi-nos possível identificar quais os caminhos que precisavam de melhoramentos. Para se acontecesse algum incêndio, algum problema, pelo menos termos as vias minimamente limpas e os caminhos rurais. Era o que estava pior.

Quais os projetos concretizados mais relevantes?
As obras que temos andado a fazer no Valado de Santa Quitéria. A Câmara Municipal de Alcobaça tem-nos apoiado com materiais e nós com alguma mão de obra e equipamento. Agora estamos numa última fase que é junto à Associação Quiterense, a fazer a calçada. Nós colocámos o lancil e a autarquia está a pagar a mão de obra do assentamento da calçada. Tem sido uma obra em sintonia. Junto à associação, havia um problema, já muito antigo. O passeio, em que uma parte estava construído e outro não; conseguimos ultrapassar essa questão e fazer essa benfeitoria. Como projetos para o futuro, temos ainda a concretização dos melhoramentos da casa Baú das Memórias, que funcionará como um espaço cultural da freguesia e que integrará oficina, biblioteca e museu.

 

(Saiba mais na edição em papel e digital de 26 de janeiro de 2017)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found