Vigararia. Cruz das Jornadas Mundiais da Juventude de partida

Catarina Ferreira Reis
Jornalista

“Recebemos a cruz das jornadas com enorme alegria e entusiasmo: foram vários os momentos marcantes nesta peregrinação”, disse a’O ALCOA Andreia Silva, coordenadora do Comité de Organização Vicarial das Jornadas Mundiais da Juventude. A responsável sublinhou que “cada paróquia teve a liberdade de planear a peregrinação da cruz, tendo em atenção a sua própria realidade”.
Com um pouco de tudo: missas, uma até celebrada no cimo da serra dos Candeeiros, noites de oração, carrinhas a passear pelas várias localidades com a cruz, visitas a lares e escolas, encontros com os jovens. “A passagem da cruz também veio permitir a aproximação das paróquias, pelo simples facto de fazermos uma passagem de testemunho da cruz, de irmos ao encontro do irmão, partilhando algo tão simples e essencial ao mesmo tempo: a nossa fé”. A par, evidentemente, do objetivo de despertar as comunidades para as jornadas Mundiais da Juventude, Lisboa 2023.

A cruz do Comité Organizador Diocesano das Jornadas Mundiais da Juventude, em Turquel

Saiba mais na edição impressa e digital de 3 de novembro de 2022.

Catarina Ferreira Reis
Jornalista

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

WhatsApp Image 2024-06-03 at 12.09.27
Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found