Opinião

Banner_CarlosBonifacio

A Europa do egoísmo

Os dirigentes europeus têm vindo a assistir impávidos e serenos ao desastre humanitário às portas da europa, fruto de uma fuga maciça de imigrantes clandestinos, que fugindo à guerra, às perseguições étnicas, ou simplesmente indo à procura de um novo rumo, arriscam a própria vida.
A União Europeia perante esta tragédia, tem-se limitado a deixar nas mãos do governo italiano a sua eventual resolução que está muito longe de acontecer e não o será por esta via.
O problema é de facto complexo e necessita de soluções eficazes, sob pena do mediterrâneo se tornar num “gigante cemitério” de vidas humanas. Felizmente que alguns dirigentes políticos vão lentamente acordando para esta realidade. Contudo, não é suficiente o que os líderes europeus se propõem fazer para estancar a entrada de imigrantes ilegais no espaço europeu. Uma maior fiscalização e apoio no mediterrâneo, é importante, mas manifestamente pouco. O problema da fuga de muitos africanos para a europa é bem mais complexo e necessita de soluções mais arrojadas.
O problema por ser difícil exige políticas activas nos países de origem destes imigrantes. Não se pense que apenas fiscalizando ou reprimindo se evitam mais mortes ou deslocamento de pessoas.
A europa há muito que virou costas a África, limitou-se a tirar partido dos seus recursos e fomentou revoluções, por isso, não lhe resta agora outra alternativa senão ajudar os países de origem destes imigrantes a criar condições económicas sociais que evitem o deslocamento de pessoas para a europa.
Esta é a solução verdadeiramente eficaz e duradora para este grave problema, na certeza que esta opção, implica custos elevados e só produzirá efeitos a médio e longo prazo.
A factura está em cima da mesa dos europeus, é o resultado do egoísmo, do alheamento e fruto das desigualdades socais que a UE não cautelou, mas que agora já não pode ignorar.

Outras notícias em Opinião

  • A força de um discurso

    Notável peça de oratória. O discurso do Cardeal D. Tolentino Mendonça, no dia 10 deste mês, tem de tudo: história, filosofia, poesia, teologia… Já tive…

  • Extraordinários. Basílio Martins

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. “O meu general”. Assim lhe chamava o…

  • Recomeço das missas em comunidade presencial

    Depois de todo este tempo em confinamento, durante o qual estivemos privados do acesso direto à Sagrada Eucaristia, todos celebrámos, com muita expectativa, a possibilidade…

  • Consultório de Psicologia

    Tenho filhos em idade escolar que precisam de apoio ao estudo. Como posso apoiá-los de uma forma eficaz? Caro leitor, cara leitora, As crianças são…

  • Os Choctaw e a Covid

    A tribo dos índios Choctaw é a terceira maior tribo de índios norte-americanos, logo depois das tribos Cherokee e Navajo. Entre os anos 1830 e…

  • Joana do Mar

    Isolamento… Quarentena… Distância… Palavras estas mencionadas tantas vezes recentemente, mas que na realidade fazem parte da vida de emigrantes. O meu nome é Joana do…

  • Tempos conturbados e a política do momento

    Caro/a Munícipe, Não estamos a viver num período de normalidade politica e a potencialidade libertadora da internet e da democracia soam um pouco a ingenuidade,…

  • Extraordinários. Joaquim Augusto de Carvalho

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Quando podem chegar a Portugal, se aprovado…

  • Afinal o que é a “dieta”?

    Diariamente as pessoas colocam a palavra dieta no seu discurso. Dieta para aqui, dieta para ali! Dieta disto, dieta daquilo! Certamente já ouviu a expressão:…

  • O futuro das coletividades durante e pós pandemia

    É nesta altura que todos temos que refletir sobre o estado e o futuro das nossas coletividades que sempre desempenharam um papel importantíssimo nas freguesias…