Aljubarrota. “Batida” à raposa gera polémica

Neuza Santos
Jornalista

Os últimos domingos de fevereiro, dias 19 e 26, foram de polémica em Aljubarrota. Em causa está a realização de uma “batida” à raposa, que contou com 60 participantes.
Apesar de o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) ter legalizado a caça, organizada pela Associação de Caçadores das Freguesias de Aljubarrota, houve “alguém que é contra e lançou esta polémica”, desvenda a’O ALCOA, José Lourenço, presidente da Junta de Freguesia de Aljubarrota, revelando ter recebido “300 emails de pessoas de várias zonas do país a contestar”. No entanto, e apesar de tanta celeuma, não existiu “qualquer tipo de impedimento para a realização da batida”, acrescenta o autarca.

Esta atividade não era levada a efeito “há muitos anos”, sendo que o objetivo “não é o abate do animal, mas sim o afastar da zona”, argumenta José Carolino, presidente da Associação de Caçadores das Freguesias de Aljubarrota e que por isso, “não houve nenhum abate”.

Saiba mais na edição impressa e digital de 9 de março de 2023.

Neuza Santos
Jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found