Opinião

Banner_AcacioBarbosaMANDATARIO

Avaliar e decidir

As eleições do próximo domingo são determinantes para o futuro do concelho de Alcobaça.
A avaliação dos últimos quatro anos de governação do concelho, quando se prometeram dinâmicas novas, será feita agora nestas eleições. Porque escolher pessoas e equipas para liderar os próximos quatro anos é, também, um momento de reflexão sobre aquilo que foi prometido e o que foi concretizado; porque optar por projetos e ideias é, ainda, ter presente que com pouco é possível fazer e concretizar obra.
O mandato autárquico que ora termina foi de desilusão para quem acreditou numa nova dinâmica para o concelho. Assistimos a uma desorientação, comandada pelo improviso, com maus resultados. Com o argumento dos parcos recursos financeiros, o concelho de Alcobaça, pela mão de uma maioria na Câmara Municipal, sofreu com a falta de ideias, pelos conflitos, demissões, acusações e pela ausência de uma estratégia clara. Estratégia que, na prática, colocasse um rumo num concelho de enormes potencialidades. Rumo que, mesmo não podendo ser alcançado em quatro anos, perspetivasse uma orientação definida e fosse capaz de inverter o caminho descendente que o concelho percorre há anos.
As promessas de hoje são as promessas de há quatro anos.
No próximo domingo surge outra oportunidade, conferida pela democracia, para alterar tal estado das coisas.
As listas do Partido Socialista, pelas quais sou mandatário e candidato à Assembleia Municipal, apresentam-se como verdadeira alternativa a estes quatro anos de desilusão. Os homens e mulheres que compõem as listas do PS, certos dos tempos difíceis que atravessamos e do papel da política e dos políticos, não tomam o trigo pelo joio. Acreditam que é possível fazer diferente. Com seriedade, honestidade e empenho. Acreditam que não bastam palavras de circunstância. E têm consciência que a vontade de um concelho e o voto de cada um pode fazer toda a diferença. E querem, com a confiança que neles for depositada, contribuir decisivamente para um concelho moderno, onde as pessoas contam e são o objetivo último da política. Com transparência, dedicação e rigor.

Outras notícias em Opinião

  • O Vaticano e as divindades pagãs

    A ideia de construir um museu nasceu há mais de cinco séculos na cabeça de alguns Papas. A palavra «museu» não existia e, menos ainda,…

  • Princípio da solidariedade

    O princípio da solidariedade é o último dos seis consagrados no Compêndio da Doutrina Social da Igreja (CDSI): ele sintetiza de algum modo os restantes,…

  • O Inferno, o Céu e a oração do rico

    O mês de novembro é dedicado aos mistérios do encontro ou desencontro com Deus. Pode ser um encontro feliz, inesgotável e exultante, ou pode ser…

  • Princípio da participação

    Cada um de nós faz parte de uma família; e, em maior ou menor grau, faz parte de uma ou mais associações, outras instituições, empresas,…

  • O valor do Património Cultural

    “Se destruís o passado, destruís a alma. Ficais sem raízes para corrigir o futuro. Os homens foram notáveis pelo que fizeram de notável”. Palavras colocadas…

  • Princípio da subsidiariedade

    O princípio da subsidiariedade baseia-se na dignidade e autonomia de cada pessoa e família, defendendo que as diferentes organizações privadas, com ou sem fins lucrativos,…

  • Destino Universal dos Bens 2166

    Este é o terceiro princípio fundamental da doutrina social da Igreja (DSI), depois da igual dignidade humana e do bem comum abordados em artigos anteriores…

  • A festa da alegria

    Nestas últimas semanas, a Igreja lançou, em todo o mundo, um projecto renovado de evangelização. Este mês de outubro foi declarado um Mês Missionário Extraordinário,…

  • Rasoamanarivo

    A 7 de setembro, durante a viagem a Moçambique, Madagáscar e República da Maurícia, o Papa fez questão de visitar o túmulo de Victoire Rasoamanarivo,…

  • Francisco e Bento XVI publicam um livro em parceria

    Os autores são Papa Francisco e Bento XVI, o título é “Não façam mal a nenhum destes pequeninos. A voz de Pedro contra a pedofilia”.…