Opinião

Banner_AfonsoLuis

Candidatos a Belém

À dúzia era mais barato. Mesmo assim, há para todos os gostos. São dez, os candidatos. Desde um veterano empresário que foi do PS e não sei se ainda é, a um médico que também já foi do PS e agora é dissidente; desde um arauto da anticorrupção (honra lhe seja) a um professor que, não sendo jovem, quer um tempo novo; desde um voluntarioso e impreparado homem do povo a um psicólogo que já formou treinadores, como José Mourinho; desde um pepe rápido que nunca se sabe onde está a um casseteiro (de cassete, não de cacete); desde (venham finalmente as mulheres!) desde uma sempre a rir com quarenta anos de provas dadas a uma com voz de tabaco e com menos de quarenta anos de idade – temos de tudo.
Apresentados os candidatos, o leitor pode escolher. Já sei que não o fará com grande entusiasmo, e é pena, mas compreende-se, pois não se vislumbra a defesa de temas aglutinadores nem de mensagens próprias do mais alto Magistrado. Isto mais parece uma campanha para as legislativas mas, como ocorreu uma ainda há pouco tempo, o pessoal (como dizem os brasileiros) acusa desgaste e… não vai lá. Nem valeu a pena terem encafuado os pobres dos candidatos num estúdio de rádio e num forum de televisão. Da boca deles não saiu ideia que se visse… Também… somos um povo pouco exigente, isso é que é! De qualquer modo, nestas coisas gosto sempre de procurar o acerto possível, e por isso pedi a opinião do meu amigo Zé Carlos, que é um tipo muito bem informado, é o expoente máximo da cidadania. “Em quem vais votar, Zé Carlos?” Respondeu-me que ia votar no professor. Como há pelo menos dois professores (e catedráticos) na disputa, quis saber em qual deles ia votar. Voltou a retorquir que neste deserto de ideias para a presidência da República só há dois candidatos com mensagens minimamente plausíveis. Um defende a ideia da harmonia, do consenso, unir as pessoas e as personagens da política; o outro sustenta a importância da cidadania, do primado do ser. E acrescentou: “Esses candidatos são justamente os dois professores catedráticos, por isso vou votar num deles.”
E mais não disse.

Outras notícias em Opinião