Memória

Ex- militares do “729” conviveram em Alcobaça

memória-img068site

No passado dia 20 de abril, realizou-se, em Alcobaça, o 18º Convívio de ex-militares que serviram em Moçambique de 1964 a 1967.
O Batalhão de Caçadores 729/ C.C.S. foi formado em Évora e ficou adido no Regimento de Infantaria 11, em Setúbal. A 21 de outubro de 1964, embarcou para Moçambique, no navio “Quanza”, com passagem por Luanda, onde estiveram um dia, seguindo até Moçambique, onde chegaram ao fim de 30 dias de viagem, com passagem por Lourenço Marques, Beira e finalmente Nacala.
Em Moçambique, estiveram oito meses em Alto Molóqué, Província da Zambeze, 12 meses em Mueda e Mocimboa, do Rovuma, e mais 10 meses no Namialo, a 80 km de Nampula, totalizando 30 meses no total da comissão, seis meses dos quais foram “de mata-bicho”, porque o normal eram 24 meses.
No regresso à metrópole, partiram de Nacala, no dia 8 de março de 1967, com chegada a Lisboa, ao Cais da Rocha Conde de Óbidos, no dia 2 de abril de 1967, seguindo a Companhia para Évora onde passaram à disponibilidade, terminando assim a longa passagem do “729” por terras de África.
Diz Manuel Marinho, um dos elementos do “729”: “por estranho que pareça, só 28 anos depois do nosso regresso, conseguimos reunir a malta, e assim começámos os agradáveis convívios, e não mais parámos. Para nós poder rever camaradas é um dia de muita alegria pois o ‘729’ é uma grande família. Alguns dos seus elementos são de bastante longe e respondem sempre à chamada. De França veio Américo Almeida; da Venezuela, o Adriano Vieira, e da África do Sul, tivemos entre nós o Modesto. Todos vêm sempre que podem. Incluindo os familiares estiveram neste 18º Convívio 110 pessoas”.
Manuel Marinho referiu ainda que infelizmente 41 elementos da Companhia já não estão entre nós. Essa referência foi aliás feita pelo Padre Carlos Jorge, pároco de Alcobaça, durante a cerimónia religiosa, no Mosteiro de Alcobaça. As palavras que endereçou aos presentes na altura foram muito apreciadas. Seguiu-se o almoço e animado convívio no Solar dos Noivos.

Outras notícias em Memória