Atual

Igreja. Celebrações do 13 de maio em Fátima sem peregrinos

Fotografias de estúdio da Imagem de Nossa Senhora de Fátima

Depois da ministra da Saúde Marta Temido, ter levantado a polémica sobre a decisão da realização das celebrações do 13 de maio, serem da responsabilidade da organização. A Igreja reuniu durante a tarde de 3 de maio, mas manteve decisão inicial. O dia 13 de Maio vai ser celebrado sem peregrinos no santuário de Fátima.

Foi numa entrevista à SIC, que a ministra levantou essa possibilidade afirmando “desde que sejam respeitadas as regras sanitárias, cabe às instituições decidir a presença, ou não, de pessoas nas celebrações, cabendo a cada organizador fazer um juízo de valor sobre os riscos que vai correr”. Mas a decisão da Igreja Católica manteve-se:  seguir as indicações das autoridades civis e suspender as celebrações religiosas. Posição que segundo o bispo de Leiria-Fátima, o cardeal D. António Marto, decorre “da responsabilidade de fazer o que está ao seu alcance para não colocar em perigo a saúde pública, em sintonia com o mandato evangélico do amor ao próximo”, refere em comunicado acrescentando, “por mais que o nosso coração desejasse estar em Fátima a celebrar comunitáriamente neste lugar como acontece desde 1917, a prudência aconselha-nos que desta vez não seja assim”.

Também no mesmo dia, 3 de maio, o cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, numa carta aberta, alertou: “sabemos que o fim do estado de emergência não significou o fim da pandemia e do grande perigo de ela alastrar, se não mantivermos o cuidado necessário”. “O Governo não autorizou celebrações religiosas em geral até ao fim deste mês”, escreveu D. Manuel Clemente, acrescentando que “custa-nos certamente, mas temos de cumprir, a bem da saúde pública”.

Padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima diz “apesar deste ser um momento doloroso, uma vez que o Santuário existe para acolher os peregrinos e não o podermos fazer é motivo de grande tristeza”. Apelando aos peregrinos para não se deslocarem até lá, sublinha que “o 12 e 13 de maio devem ser vividos em casa, num clima de oração”.

Pela primeira vez na sua história o Santuário de Fátima vai celebrar os dias 12 e 13 de maio sem peregrinos nos seus espaços, na sequência das decisões sanitárias impostas pelas autoridades por causa da pandemia provocada pela Covid-19.

Outras notícias em Atual