Opinião

Banner_AcacioCatarino

Igreja, co-promotora de desenvolvimento

«O Alcoa», na edição de 6 de Agosto, recordou a inauguração (dedicação), há sessenta anos, da então chamada «Igreja Nova da Benedita». E transcreve a seguinte afirmação do atual Pároco, P. Gianfranco Bianco: «Foi com esta igreja que teve início o grande desenvolvimento económico, através do P. Inácio Antunes, que teve uma visão sobre a vila fora do vulgar». Deste modo, a Paróquia foi verdadeiramente promotora de desenvovimento, para o qual contribuíram vários outros dinamismos, tais como: a vitalidade das populações dos diferentes lugares da freguesia; a cooperação da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal; e, mais tarde, a ação da Equipa de Desenvolvimento Comunitário e da Cooperativa de Ensino e Cultura.
A vitalidade das populações foi porventura o dinamismo fundamental, que o P. Inácio Antunes soube liderar respeitando-o e estimulando-o. Essa vitalidade, mais visível nas diferentes campanhas pró-igreja, baseava-se na economia familiar, bem como noutras atividades e relacionamentos tradicionais. No que se refere à cooperação da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal, talvez se possa afirmar que foi a partir dela que as populações tomaram consciência de que a Câmara existia para as servir. Mais tarde, nos anos sessenta, a Equipa de Desenvolvimento Comunitário e a Cooperativa de Ensino e Cultura souberam aproveitar e respeitar os dinamismos que vinham de trás; souberam também reconhecer que o agente de desenvolvimento por excelência não eram elas próprias mas sim cada pessoa, família, grupo, as populações no seu todo e as sociedades comerciais que entretanto se constituíram.
Hoje, volvidos sessenta anos e mergulhados numa crise profunda, ainda não vencida, seremos capazes de incitar antigos e novos dinamismos, a favor de um desenvolvimento integral e sustentável? Isso poderá acontecer na Benedita e em todo o Concelho?

Outras notícias em Opinião

  • A força de um discurso

    Notável peça de oratória. O discurso do Cardeal D. Tolentino Mendonça, no dia 10 deste mês, tem de tudo: história, filosofia, poesia, teologia… Já tive…

  • Extraordinários. Basílio Martins

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. “O meu general”. Assim lhe chamava o…

  • Recomeço das missas em comunidade presencial

    Depois de todo este tempo em confinamento, durante o qual estivemos privados do acesso direto à Sagrada Eucaristia, todos celebrámos, com muita expectativa, a possibilidade…

  • Consultório de Psicologia

    Tenho filhos em idade escolar que precisam de apoio ao estudo. Como posso apoiá-los de uma forma eficaz? Caro leitor, cara leitora, As crianças são…

  • Os Choctaw e a Covid

    A tribo dos índios Choctaw é a terceira maior tribo de índios norte-americanos, logo depois das tribos Cherokee e Navajo. Entre os anos 1830 e…

  • Joana do Mar

    Isolamento… Quarentena… Distância… Palavras estas mencionadas tantas vezes recentemente, mas que na realidade fazem parte da vida de emigrantes. O meu nome é Joana do…

  • Tempos conturbados e a política do momento

    Caro/a Munícipe, Não estamos a viver num período de normalidade politica e a potencialidade libertadora da internet e da democracia soam um pouco a ingenuidade,…

  • Extraordinários. Joaquim Augusto de Carvalho

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Quando podem chegar a Portugal, se aprovado…

  • Afinal o que é a “dieta”?

    Diariamente as pessoas colocam a palavra dieta no seu discurso. Dieta para aqui, dieta para ali! Dieta disto, dieta daquilo! Certamente já ouviu a expressão:…

  • O futuro das coletividades durante e pós pandemia

    É nesta altura que todos temos que refletir sobre o estado e o futuro das nossas coletividades que sempre desempenharam um papel importantíssimo nas freguesias…