Opinião

Banner_BrunoRego

Inclusão: responsabilidade e oportunidade de mercado

No ano letivo 2012/13, integrei a equipa dinamizadora do “IPL (+) INCLUSIVO”, um projeto do Instituto Politécnico de Leiria com vista a implementar uma política interna de inclusão, alargada à comunidade envolvente. Pensar a inclusão não significa estabelecer o enfoque na deficiência e na incapacidade, mas antes entender a diversidade enquanto oportunidade de enriquecimento pessoal e coletivo.
Segundo a ONU, em 2050, a população portuguesa com mais de 60 anos será superior às crianças e atingirá os 30 por cento, estimando-se atualmente que mais de 10 por cento da população mundial sofra de algum tipo de incapacidade ou deficiência. O facto de estes grupos constituírem cerca de dois terços da população obriga-nos já por si a refletir.
Se a responsabilidade social exige a inclusão de todos, o legítimo direito de não ser excluído revela oportunidades de mercado, de que são exemplos o “turismo acessível“ e o “turismo sénior”.
Depois de uma orientação apenas para o mercado “modelo jovem perfeito”, alerta-se cada vez mais para a necessidade de estratégias dirigidas a estes cidadãos-consumidores.
No nosso concelho predomina a variedade de valores; profissionais que vão afirmando com qualidade o seu nome, marca, e consequentemente a identidade do concelho de Alcobaça. Contudo, lamento que, na grande maioria das vezes, perdure a desigualdade na oferta de serviços e produtos. No planeamento de espaços e equipamentos, prevalece o tal modelo “jovem comum” apoiado por justificações estéticas ou orçamentais, para além da desconsideração social ou de desajustadas imposições legais. Não entendo se o objetivo cai por responsabilidade de quem contrata, de quem responde ou de quem regula. Mas sei que para além do desrespeito pelo direito à igualdade, vão-se desperdiçando oportunidades e mercados.
Se a resposta existe com alguma excelência no apoio social, é parca noutros domínios. Tornarmo-nos mais justos internamente permite-nos simultaneamente oferecer qualidade e variedade a quem nos visita e assim competir com diferença e inovação. Este será um dos grandes enfoques do executivo que integro na União de Freguesias de Alcobaça e Vestiaria, começando desde já por aqueles que são os nossos domínios diretos.

Outras notícias em Opinião

  • Editorial. Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, uma pessoa extraordinária em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Há mais de duas décadas, trabalhava…

  • Michael Nnadi: 18 anos

    Nos anos 90, conheci dois padres do Ruanda. Um não tinha notícias da família há muito tempo, outro acabava de saber que todas as pessoas…

  • Aquilo que é

    Aquilo que é a língua portuguesa deixa-nos às vezes confundidos com aquilo que é a forma de falar de uns tantos. Modas… Começa nos meios…

  • Extraordinários

    Neste 2020, em cada edição, uma pessoa extraordinária em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Em vésperas do Dia dos Namorados,…

  • Jesus a espreguiçar-Se

    Quando o Papa fez 83 anos (17 de dezembro passado), ofereceram-lhe uma estampa que sintetiza o seu programa pastoral: a santidade “della porta accanto”, a…

  • Valores Sociais

    A doutrina social da Igreja (DSI) tem como orientações básicas seis princípios e quatro valores: os princípios, abordados nos artigos anteriores, são a dignidade humana,…

  • Seitas e Movimentos Religiosos

    Que as seitas são altamente prejudiciais à sociedade, todos reconhecem. Muitas pessoas, sobretudo entre os jovens, têm sido captadas por redes sectárias. Pensam, ingenuamente, que…

  • Um conto de Natal | As dúvidas de Renato

    Renato frequentava um curso superior, na cidade. Os pais viviam na aldeia. Eram crentes. Renato nem por isso. As aulas na Faculdade e a vida…

  • Princípios sociais, numa visão de conjunto

    Nos últimos artigos, foram apresentados os seis princípios da doutrina social da Igreja consagrados no respetivo Compêndio de 2004: dignidade humana; bem comum; destino universal…

  • A carta de Greccio

    S. Francisco de Assis foi pela primeira vez a Greccio por volta de 1209, numa altura em que a pequena cidade sofria o ataque de…