Opinião

Banner_BrunoRego

Inclusão: responsabilidade e oportunidade de mercado

No ano letivo 2012/13, integrei a equipa dinamizadora do “IPL (+) INCLUSIVO”, um projeto do Instituto Politécnico de Leiria com vista a implementar uma política interna de inclusão, alargada à comunidade envolvente. Pensar a inclusão não significa estabelecer o enfoque na deficiência e na incapacidade, mas antes entender a diversidade enquanto oportunidade de enriquecimento pessoal e coletivo.
Segundo a ONU, em 2050, a população portuguesa com mais de 60 anos será superior às crianças e atingirá os 30 por cento, estimando-se atualmente que mais de 10 por cento da população mundial sofra de algum tipo de incapacidade ou deficiência. O facto de estes grupos constituírem cerca de dois terços da população obriga-nos já por si a refletir.
Se a responsabilidade social exige a inclusão de todos, o legítimo direito de não ser excluído revela oportunidades de mercado, de que são exemplos o “turismo acessível“ e o “turismo sénior”.
Depois de uma orientação apenas para o mercado “modelo jovem perfeito”, alerta-se cada vez mais para a necessidade de estratégias dirigidas a estes cidadãos-consumidores.
No nosso concelho predomina a variedade de valores; profissionais que vão afirmando com qualidade o seu nome, marca, e consequentemente a identidade do concelho de Alcobaça. Contudo, lamento que, na grande maioria das vezes, perdure a desigualdade na oferta de serviços e produtos. No planeamento de espaços e equipamentos, prevalece o tal modelo “jovem comum” apoiado por justificações estéticas ou orçamentais, para além da desconsideração social ou de desajustadas imposições legais. Não entendo se o objetivo cai por responsabilidade de quem contrata, de quem responde ou de quem regula. Mas sei que para além do desrespeito pelo direito à igualdade, vão-se desperdiçando oportunidades e mercados.
Se a resposta existe com alguma excelência no apoio social, é parca noutros domínios. Tornarmo-nos mais justos internamente permite-nos simultaneamente oferecer qualidade e variedade a quem nos visita e assim competir com diferença e inovação. Este será um dos grandes enfoques do executivo que integro na União de Freguesias de Alcobaça e Vestiaria, começando desde já por aqueles que são os nossos domínios diretos.

Outras notícias em Opinião

  • O Vaticano e as divindades pagãs

    A ideia de construir um museu nasceu há mais de cinco séculos na cabeça de alguns Papas. A palavra «museu» não existia e, menos ainda,…

  • Princípio da solidariedade

    O princípio da solidariedade é o último dos seis consagrados no Compêndio da Doutrina Social da Igreja (CDSI): ele sintetiza de algum modo os restantes,…

  • O Inferno, o Céu e a oração do rico

    O mês de novembro é dedicado aos mistérios do encontro ou desencontro com Deus. Pode ser um encontro feliz, inesgotável e exultante, ou pode ser…

  • Princípio da participação

    Cada um de nós faz parte de uma família; e, em maior ou menor grau, faz parte de uma ou mais associações, outras instituições, empresas,…

  • O valor do Património Cultural

    “Se destruís o passado, destruís a alma. Ficais sem raízes para corrigir o futuro. Os homens foram notáveis pelo que fizeram de notável”. Palavras colocadas…

  • Princípio da subsidiariedade

    O princípio da subsidiariedade baseia-se na dignidade e autonomia de cada pessoa e família, defendendo que as diferentes organizações privadas, com ou sem fins lucrativos,…

  • Destino Universal dos Bens 2166

    Este é o terceiro princípio fundamental da doutrina social da Igreja (DSI), depois da igual dignidade humana e do bem comum abordados em artigos anteriores…

  • A festa da alegria

    Nestas últimas semanas, a Igreja lançou, em todo o mundo, um projecto renovado de evangelização. Este mês de outubro foi declarado um Mês Missionário Extraordinário,…

  • Rasoamanarivo

    A 7 de setembro, durante a viagem a Moçambique, Madagáscar e República da Maurícia, o Papa fez questão de visitar o túmulo de Victoire Rasoamanarivo,…

  • Francisco e Bento XVI publicam um livro em parceria

    Os autores são Papa Francisco e Bento XVI, o título é “Não façam mal a nenhum destes pequeninos. A voz de Pedro contra a pedofilia”.…