Lendas e apenas lendas de Alcobaça

Fleming de Oliveira
Advogado

Em 12 de agosto de 2010, um túnel que, à vista desarmada poderia ter centenas de anos, foi descoberto na Vestiaria/Alcobaça. A descoberta aconteceu quando, no decorrer de obras no pavimento, os operários detetaram um abatimento do piso.

Os operários estavam a fazer um alicerce e quando escavaram para colocar o lancil depararam-se com um buraco fundo, que abriram um pouco mais. O túnel tem continuidade, mas estará barrado por raízes de eucalipto. Vamos ver se é possível abrir para ver onde vai dar. Suspeito que quando foram abertas as condutas de água poderão ter fechado parte do túnel, informou o então Presidente da Junta de Freguesia da Vesti\aria, António André. Segundo o mesmo autarca, com cerca de um metro de largura e dois de altura, o túnel tem livres vários metros e pára numa sala com mesas e bancos.

António André, disse ainda acreditar que esta passagem era utilizada pelos frades do Mosteiro de Alcobaça, já que segundo a tradição ou lenda consta a existência de uma rede de túneis que ligava o mosteiro ao castelo e a outros locais como o mosteiro feminino de Coz, para refúgio ou escapadas dos monges e para evacuação da população.

Mas António André não tinha razão, invocando mais uma lenda infundada. O túnel nada tem de misterioso ou especial, pois trata-se apenas de uma mina de água entre as muitas que existem na zona. As suas dimensões não são exageradas e ajustam-se às necessidades de utilização, sem esquecer as de limpeza. Desconhece-se a data de construção, embora não esteja excluído ter sido construído no tempo dos monges. Falou-se também numa comunicação subterrânea que haveria entre o Mosteiro de Alcobaça e o convento das freiras de Coz, mas nunca foi encontrado qualquer vestígio nesse sentido. Manuel Vieira Natividade escreveu que o convento de freiras mais próximo ficava a 8 quilómetros, e não é crível que se achasse ligado ao de Alcobaça por tão extenso caminho subterrâneo. E nem isso era preciso. O Mosteiro de Coz, da mesma Ordem de Cister, vivia sob a obediência e proteção do de Alcobaça, que lhe dispensava até a alimentação, para o que tinha diversas propriedades, incluindo a Quinta das Freiras, nas imediações da sua cerca e, por esse motivo designada por esse nome.

Relativamente ao Mosteiro há muitas outra lendas, umas mais fantasiosas ou interessantes que outras.

Fleming de Oliveira
Advogado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found