Opinião

Banner_LuisQuerido

Reflexão

Qual foi a obra que este executivo camarário deixará ao concelho de Alcobaça como marca da sua autoria?
A única que encontramos, com mais relevo, são as obras despesistas e de fachada que estão em curso em volta do edifício do Tribunal… Uma obra de Bandeira e de galões deste Presidente, mas estes fundos comunitários aprovados para esta construção já vinham do tempo do anterior executivo. Ainda assim, foi lançado por este executivo um concurso público para receber ideias, causando mais uma despesa. Portanto, estou inteiramente em desacordo quando a reclama uma obra sua.
No atual quadro económico marcado por tão grandes dificuldades, não vejo como 2,6 milhões de euros, gastos desta forma, irão auxiliar ou resolver os problemas reais do Concelho de Alcobaça de modo a vencer os tempos difíceis que se avizinham. A Câmara queixa-se de dificuldades económicas, mas nem por isso deixa de ter um exército de assessores como nunca se viu em Alcobaça que consome perto de 1 milhão de euros em salários, num mandato que dava para fazer tanta coisa. Alcobaça merece mais sorte e um sinal de esperança para aqueles que habitam neste extraordinário Concelho. Outras políticas alicerçadas numa gestão mais sensata e eficaz e nunca numa gestão vaidosa, onde o desequilíbrio de custo/benefício é denominador comum.
Será que estas escassas obras modificaram o concelho de Alcobaça para melhor? Julgo que não: tudo está na mesma e os munícipes continuam a ser sacrificados com impostos, designadamente com a taxa fixada para Alcobaça do Imposto Municipal de Imóveis (IMI), quando é expectável que esta receita suba exponencialmente este ano.
Todo o investimento deve ser devidamente ponderado, devendo apenas ser opção aquele que se traduza em retorno efetivo para o Concelho. Tudo o resto é apenas “fogo de vista”, sem consistência e com resultados desastrosos para o FUTURO. É isto que o CDS/PP teme que esteja acontecer em Alcobaça.
Mas o que falta para que isso NÃO aconteça? Nova mentalidade, verdade, coragem, compromisso integral com o Concelho.

Outras notícias em Opinião